"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Jesus perdoa pecados e julga, e por isso é Deus?

Apesar de Jesus ter pedido ao Pai para que perdoasse aos que o crucificavam, um sinal de que ele mesmo não poderia fazer isso,  os trinitaristas usam estes versículos como prova de que Jesus é Deus:
"Quando Jesus reparou na fé deles, disse ao doente: Coragem, filho, porque já perdoei os teus pecados! Que ofensa a Deus! Esse homem é como se se considerasse o próprio Deus!, murmuravam entre si alguns chefes religiosos." (Mateus 9:2-3)
"Mas que blasfêmia! Acaso ele imaginará que é Deus? Só Deus pode perdoar os pecados." (Marcos 2:7)
Kardec no livro A Gênese:  "Que significariam aquelas palavras: «Teus pecados te são remitidos» e em que podiam elas influir para a cura? O Espiritismo lhes dá a explicação, como a uma infinidade de outras palavras incompreendidas até hoje. Por meio da pluralidade das existências, ele ensina que os males e aflições da vida são muitas vezes expiações do passado, bem como que sofremos na vida presente as conseqüências das faltas que cometemos em existência anterior e, assim, até que tenhamos pago a dívida de nossas imperfeições, pois que as existências são solidárias umas com as outras.
    Se, portanto, a enfermidade daquele homem era uma expiação do mal que ele praticara, o dizer-lhe Jesus: «Teus pecados te são remitidos» eqüivalia a dizer-lhe: «Pagaste a tua dívida; a fé que agora possuís elidiu a causa da tua enfermidade; conseguintemente, mereces ficar livre dela.» Daí o haver dito aos escribas: «Tão fácil é dizer: Teus pecados te são perdoados, como: Levanta-te e anda.» Cessada a causa, o efeito tem que cessar. É precisamente o caso do encarcerado a quem se declara: «Teu crime está expiado e perdoado», o que eqüivaleria a se lhe dizer: «Podes sair da prisão.»"
Não há um versículo na Bíblia que diga "Só Deus pode perdoar os pecados". Esta idéia veio da tradição. Jesus disse que tinha na Terra essa autoridade porque ela lhe foi dada por Deus. Sendo Cristo quem era, espírito perfeito que sabia o que se passava no íntimo de cada um, podia perceber quem estava realmente arrependido e merecia perdão. João 20:23 mostra Jesus dizendo aos apóstolos para perdoarem pecados. Se os fariseus estavam certos e apenas Deus pode perdoar pecados, então os apóstolos também eram todos um único Deus. 
  Também dizem que só Deus pode julgar e citam versículos como esse:
"Porque o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o julgamento" (João 5:22)
Mas isso na verdade contraria a idéia da Trindade, pois nos mostra que Jesus recebeu essa autoridade de Deus, para julgar em nosso mundo, onde é regente. Ele recebeu porque não a tinha, porque não é Deus e nunca foi. Se fosse Deus, já teria essa autoridade e não precisaria receber de ninguém. Versículo com a mesma idéia desse:   "E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. " (Mateus 28:18)
Se foi dado a Jesus poder sobre o céu(mundo espiritual) e sobre a terra (plano físico) é porque ele não é Deus, pois se fosse Deus já teria esse poder desde o início. Mas o Espiritismo explica que Deus deu a ele poder sobre este mundo. Jesus é dirigente da Terra. 
E vejamos outro versículo em João 5 que comprova  a inferioridade de Jesus diante do Pai:
"Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, porque não procuro a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. " (João 5:30)
Seu julgamento só é justo porque é de acordo com a vontade de quem o enviou e não dele próprio. Como podem ainda afirmar que ele é Deus?

Nenhum comentário:

Postar um comentário