"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

João Batista, Reencarnação de Elias

O Velho Testamento diz que Elias seria o precursor do Cristo:
  "Eis que vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor" (Malaquias 4:5).
  Sobre o dia do Senhor, diz Severino Celestino em seu livro "Analisando as traduções Bíblicas": "A idéia do Dia de Iahvéh era uma crença popular  na religião israelita pré-exílica e aparece pela primeira vez em Amós (5:18-20), profeta e pastor em Técua, localidade vizinha a Belém (750 a.C), que dá por sabida sem explicá-la. Segundo a sua breve descrição, o povo pensava que o Dia de Iahvéh seria constituído de luz e esplendor. Amós, no entanto, afirma que será trevas e não luz, escuridão e não esplendor. Isaías, (2:11), fala que, neste dia, a soberba dos mortais será abatida e o orgulho dos homens será humilhado. E só Iahvéh será exaltado naquele tempo. Fala ainda que será um dia implacável, de furor e de cólera ardente, para reduzir a terra a um deserto e dela exterminar os pecadores (Isaías 13:9).
     Joel fala do Dia de Iahvéh como o dia da chegada ou eclosão da mediunidade para todos, onde o espírito de Deus será derramado sobre todo ser vivo (Joel 3:1-4). O sol se converterá em trevas, a lua em sangue, antes que chegue o Grande e Terrível Dia de Iahvéh (Joel 3:4). Veja ainda Joel 4:14, Zacarias 14:1 e Ezequiel cap. 38 e 39.
   O profeta Isaías é quem inicia a realização do Dia de Iahvéh. Ele anuncia esta chegada, afirmando que alguém pregaria ou clamaria no deserto, preparando o caminho do Senhor.
    Isaías 40:3: 'Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho  do Senhor, tornai retas suas veredas'. Aqui unem-se os profetas Isaías e Malaquias  (3:23) o primeiro referindo-se a João Batista pregando no deserto da Judéia e o outro referindo-se a João Batista(Elias reencarnado), apresentando o Cristo como o cordeiro de Deus.
    É o próprio  Cristo, nos Evangelhos de Mateus 11:13;17:10-13 e Marcos 9:11-13, quem confirma estas profecias dizendo que Elias voltara, e as referências à preparação do Dia do Filho do Homem são encontradas em Lucas 17:22-36;João 8:56; 1 Coríntios 1:8;3:13;2 Coríntios 1:14;Filipenses 1:6 e 10;2:16; 1 Tessalonicenses 5:2 e 4;2 Pedro 3:12 e 13;Apocalipse 16:14."
Dizem: "Os judeus criam que João Batista fosse Elias ressuscitado, não reencarnado (Lucas 9:7,8).
Conforme Kardec em O Evangelho Segundo o Espiritismo: "A Reencarnação fazia parte dos dogmas dos judeus, sob o nome de Ressurreição. Só os saduceus, cuja crença era a de que tudo acabava com a morte, não acreditavam nisso. As idéias dos judeus sobre esse ponto, como sobre muitos outros, não eram claramente definidas, porque apenas tinham vagas e incompletas noções acerca da alma e da sua ligação com o corpo. Criam eles que um homem que vivera podia reviver, sem saber precisamente de que maneira o fato poderia dar-se. Designavam pelo nome Ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama Reencarnação. Com efeito, a Ressurreição dá idéia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a Ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos. "
Criticam o que Kardec disse, mas devemos deixar claro que Kardec não disse que Lázaro "reencarnou" ou que Jesus "reencarnou". Mas há um tipo de "ressurreição" bíblica que só pode ser entendida como reencarnação.
Quando Jesus perguntou a seus discípulos o que diziam dele no povo, eles responderam: "Uns dizem que és João Batista; outros, Elias; outros Jeremias, ou qualquer um dos antigos profetas que vieram ao mundo." Os pais de Jesus eram conhecidos, portanto não poderia ser de uma ressurreição da carne que eles falavam. A reencarnação era uma crença conhecida, se fosse uma heresia, obra de “Satanás”, como muitos dizem, então Jesus com certeza os criticaria de cara por cogitarem disso. Mas apenas perguntou: “E vós, quem acreditam que sou?".  Em João 1:21 também perguntam a João Batista se ele era Elias. Além de Jesus e João  não serem homens que levantaram dos túmulos, tem outra coisa: a idéia inicial de ressurreição dos judeus, copiada do Zoroastrismo persa, seria apenas no juízo final, para a eternidade, e não para habitar a Terra. Mas aqui nesse caso de "ressurreição" já havia a influência dos gregos, que acreditavam na reencarnação..
  Flávio Josepho, escritor judeu contemporâneo do Cristo(morreu no ano 98), não deixa dúvidas quanto a crença dos fariseus na reencarnação, ao menos para os bons homens(caso daqueles profetas):
" Estes (os fariseus) atribuem tudo ao destino [ou providência] e a Deus, e embora deixe que o agir de forma correta ou o contrário esteja principalmente nas mãos dos homens, apesar de o destino, de fato, cooperar com cada ação. Dizem que todas as almas são incorruptíveis, mas que as almas dos bons homens apenas são movidas para outros corpos, - porém as almas dos maus são sujeitas ao castigo eterno. ”(Guerra Judaica, livro II, cap. VIII)
“Não sabes que os que partem desta vida conforme a lei da natureza e pagam a dívida que foi adquirida de Deus, quando ele, que no-la emprestou, fica prazeroso em pedi-la de volta, gozam de eterno renome; que suas casas e suas posteridades estão asseguradas, que suas almas são puras e obedientes e obtêm o mais sagrado lugar do paraíso, de onde, nos ciclos dos tempos, eles são novamente postos em corpos puros;enquanto as almas daqueles cujas mãos agiram desvairadamente contra si mesmos são recebidos nos lugares mais sombrios do Hades, onde Deus, que é o Pai deles, pune quem comente ofensa contra qualquer uma destas na sua posteridade? Por esta razão Deus odeia tais atos [de suicídio] e o crime é punido pelo nosso mais sábio legislador.(...)” (Guerra Judaica, livro III, cap VIII)
Cristo confirma a volta de Elias: "E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir. Quem tem ouvidos, ouça. " (Mateus 11:12-15) 
   "Desde os dias de João Batista até agora": o que significa isso, já que João Batista estava vivo? Diz Kardec em O Evangelho Segundo o Espiritismo: "Jesus explica, dizendo: "Se quiserdes compreender o que eu digo, ele mesmo é  o Elias que há de vir'. Ora, sendo João o próprio Elias, Jesus alude a época em que João vivia com o nome de Elias. "Até ao presente o reino dos céus é tomado pela violência": outra alusão a violência da lei mosaica, que ordenava o extermínio dos infiéis, para que os demais ganhassem a Terra Prometida, Paraíso dos hebreus, ao passo que, segundo a nova lei, o céu se ganha pela caridade e pela brandura.  E acrescentou: "Ouça aquele que tiver ouvidos de ouvir". Estas palavras, que Jesus tanto repetiu, claramente dizem que nem todos estavam em condições de compreender certas verdades. "
Após a morte de João Batista:
"Seus discípulos então o interrogaram desta forma: 'Por que dizem os escribas ser preciso que antes volte Elias?'
Jesus lhes respondeu: 'É  verdade que Elias há  de vir e restabelecer todas as coisas: - mas eu vos declaro que Elias já veio e eles não o reconheceram e o trataram como lhes aprouve. é assim que farão sofrer o Filho do Homem' - Então, seus discípulos compreenderam que fora de João Batista que ele falara" ( S. Mateus, cap. XVII, vv 10 a 13; - S. Marcos, cap. IX, vv 11 a 13)
  É importante lembrar que tanto Elias quanto João Batista tinham os mesmo hábitos: vestiam-se de pelos, usando ainda um cinto de couro em torno dos lombos (II Reis 1:8 e Mateus 3:4). Não são meras coincidências, não!
  Dizem os apologistas cristãos: "Se João Batista fosse Elias, no momento da transfiguração de Cristo teriam aparecido Moisés e João (que já era morto também) e não Moisés e Elias (Mateus 17:1-8). "
     Isso que dá querer fazer seu próprio "Espiritismo".  O espírito pode aparecer, sim com sua aparência de vidas anteriores a última. Emmanuel, por exemplo, chegou a aparecer para Chico Xavier como um Senador Romano, tendo vivido outras vidas após aquela época.    Kardec, no "Livro dos Médiuns", ensina: "Podendo tomar todas as aparências, o Espírito se apresenta sob a que melhor o faça reconhecível, se tal é o seu desejo. Assim, embora como Espírito nenhum defeito corpóreo tenha, ele se mostrará estropiado, coxo, corcunda, ferido, com cicatrizes, se isso for necessário à prova da sua identidade. Esopo, por exemplo, como Espírito, não édisforme; porém, se o evocarem como Esopo, ainda que muitas existências tenha tido depois da em que assim se chamou, ele aparecerá feio e corcunda, com os seus trajes tradicionais."
Um site evangélico ainda diz: "João nesta altura já havia sido decapitado por Herodes, portanto estava morto. Ora, o próprio Kardec afirmou que “a reencarnação é a volta da alma à vida corpórea, mas em outro corpo especialmente formado para ela e que nada tem de comum com o antigo”. Como então, João Batista, apareceu no velho corpo na transfiguração? Não teria ele que aparecer (de acordo com a doutrina espírita) com o atual, da ultima reencarnação, isto é, com o corpo de João e não de Elias? ".
Como o próprio pastor diz, Kardec falou aquilo sobre REENCARNAÇÃO, que é a volta do espírito ao mundo em um novo corpo de carne ("o que é nascido de espírito é espírito e o que é nascido da carne é carne"), enquanto a MATERIALIZAÇÃO é o "aproveitamento pelos espíritos do ectoplasma fornecido pelo médium (às vezes dos assistentes também) para a reprodução de objetos ou mesmo de seus corpos, fazendo-se visíveis, podendo ser tocados e sentidos por qualquer pessoa." (Celso Martins, "Mediunidade ao seu Alcance"). Elias e Moisés apareceram materializados e os médiuns que forneceram o ectoplasma foram os apóstolos, que estavam adormecidos devido a energia que doavam para o fenômeno. Enquanto os perispíritos dos dois profetas eram vistos,  Jesus exteriorizava seu próprio perispírito, no fenômeno de transfiguração. Isso só serviria como argumento contra a reencarnação de Elias como João, se João Batista estivesse ainda vivo. Mas o fato daquela materialização só ter ocorrido após a morte de João, pelo contrário, torna mais evidente a idéia de que era o mesmo espírito.
  Dizem ainda que João Batista negou que tivesse sido Elias (João 1:21). Claro que só podia negar, pois enquanto na carne o Espírito não se recorda de existências anteriores. Mesmo que soubesse que era Elias, não estaria mentindo, pois a personalidade agora seria outra: João Batista e não mais Elias. Mas havia um grande motivo pra ele não saber quem era, como mostrarei.
  Jesus disse: "em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele" (Mateus 11:11)
Por que João Batista, segundo Jesus, era ainda menor do que o "menor no reino dos céus" ?
  Disse o Cristo em seu Sermão da Montanha:
"Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus." (Mateus 5:17-19)
  Notem que é o mesmo Evangelho (o  de Mateus) onde Jesus afirma que o menor no reino dos céus é maior do que João Batista.  Também é o mesmo Evangelho onde, após a transfiguração de Jesus e a materialização dos espíritos Elias e Moisés, se confirma que Elias veio como João Batista e não foi reconhecido. Cristo diz "será chamado..." no capítulo 5 e no capítulo 11 João é chamado exatamente daquela forma. "Menor no reino dos céus", então, seria um título, uma nomeação, para aqueles que já estão no chamado "reino dos céus",  aqueles espíritos  que vêm ao mundo   em missão (os profetas como Elias, no caso), mas que ainda estão entre os "menores", porque contrariaram um dos mandamentos divinos e ensinaram errado aos homens.
    E qual mandamento João Batista violou e ensinou errado aos homens, para não ser nem mesmo um dos menores, mas o menor dos menores no reino dos céus? Evangelho algum mostra João contrariando um dos mandamentos. Agora, quando o espírito de João Batista animava o corpo de Elias, o mandamento violado foi o maior deles: "não matarás". Como Elias, ele mandara degolar implacavelmente os sacerdotes do Baal no dramático desafio narrado em I Reis 18:40: "Disse-lhes Elias: Agarrai os profetas de Baal; que nenhum deles escape. Agarram-nos. Elias fê-los descer a torrente de Kishon e ali os matou".
Como um profeta, um médium, um escolhido por Deus, um homem com a missão de ensinar grandes coisas aos homens, a responsabilidade de Elias era muito maior.
Agora, vamos ver direito o que Jesus em Mateus 11 diz sobre João: "Em verdade vos digo que, entre os nascidos de mulher, não surgiu outro maior do que João, o Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele. E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto. Pois todos os profetas e a lei profetizaram até João. E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir. Quem tem ouvidos, ouça. " (Mateus 11:11-15)
Como foi explicado, citando Kardec,  Jesus faz referência a violência do "tempo de João Batista" (Elias) e outros que violavam o mandamento "Não Matarás", seguindo preceitos humanos, e ensinavam errado aos homens, dizendo que o próprio Deus ditava aquelas leis. Mas Deus não ordena e nunca ordenou a morte de ninguém. Como disse o Cristo: "Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento.  Este é o grande e primeiro mandamento.  E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.  Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. (Matheus 22:37-40) . Paulo também disse: "Com efeito: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. (Romanos 13:9)" O que aí não se inclui, são leis humanas e não divinas e imutáveis. "Não matarás" é um preceito divino e imutável.
Está bem claro: João Batista provavelmente não  sabia mesmo quem foi, pois tinha dividas,  devia resgatar os débitos espirituais contraídos por ele quando era Elias. Como se sabe, João Batista foi decapitado. Ou pode até ser que soubesse (como disse, não estaria mentindo) e tenha ele mesmo escolhido, antes de vir ao mundo, passar por uma morte violenta na Terra para acelerar a sua evolução. 
   Dizem que Elias não morreu, mas foi arrebatado, conforme 2 Reis 2.1-15 : "...Indo Eles andando e falando, eis que um Carro de Fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.".
      Em momento nenhum é dito que ele continuou vivo após aquele arrebatamento.  Eliseu pode ter visto o perispírito de Elias no momento de sua morte ou pode simplesmente ter sido uma lenda, como muitas na Bíblia. Afinal, vejamos II Cr 21:12: "Então chegou às suas mãos um escrito do profeta Elias nestes termos: "Assim falou o Senhor , o Deus de teu pai Davi: Visto que não seguiste o exemplo de teu pai Josafá, e o exemplo de Asa, rei de Judá ...". Elias, então, escreveu uma carta depois de ser arrebatado? De acordo com a seqüência dos fatos narrados na Bíblia, essa passagem veio depois do arrebatamento. Será que há carteiro nos céus?
   A idéia de que Elias está em carne e osso nos céus é absurda e é refutada pela própria Bíblia, pois Jesus disse: “O espírito é o que dá a vida. A carne não serve para nada”(João 6:63).  E Paulo de Tarso afirmou também:"Semeia-se o corpo em corrupção, ressuscitará   em incorrupção;semeia-se em vileza, ressuscitará  em glória; semeia-se em fraqueza, ressuscitará   em vigor. E semeado o corpo animal, ressuscitará   o corpo espiritual. Se há  corpo animal, há  também o corpo espiritual. (...) Eu vo-los digo, meus irmãos, a carne e o sangue não podem possuir o reino de Deus, nem a  corrupção possuirá  a incorruptibilidade" (I Epístola aos Coríntios, XV,   42-50)
Se Elias está vivo, em carne e sangue, com certeza não está no Reino de Deus, pois o Reino de Deus é espiritual e não material. Só poderia estar no mundo material, no mesmo plano nosso. E onde estaria, então? Na Lua? Em Marte? E como sobrevive sem oxigênio?
Lucas 1:17 diz, anunciando o nascimento de João Batista: "E irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado". Os apologistas cristãos dizem que isto "não quer dizer, de forma nenhuma, que João fosse Elias, mas que no seu ministério profético, haveria peculiaridades do ministério de Elias".
Algumas traduções dizem exatamente COM o espírito de Elias. Seja "com" ou "no" isso é exatamente reencarnar. João Batista estava no/com espírito de Elias porque era Elias. Mas, claro, se fosse só esse versículo não provaria nada. Como demonstrado, há outras provas bíblicas de que Elias reencarnou como João Batista, principalmente as  palavras do Cristo: "Ele é o Elias que havia de vir" e "Elias veio, mas não foi reconhecido", que são afirmações claras. Jesus estaria mentindo se Elias não veio de fato, ainda mais se o verdadeiro Elias estivesse vivo, em carne e osso, nos céus. Muitas outras "coincidências", até mesmo João resgatando os débitos de Elias, colaboram mais ainda a favor da idéia de que o espírito de Elias e de João era o mesmo. Como eu disse, a reencarnação era uma crença conhecida e se fosse uma heresia, uma coisa "satânica", Jesus faria questão de dizer que não existe a reencarnação.
  Afirmam: "Considerando que 'sobre Eliseu repousava o espírito de Elias', em 2 Reis 2:15, não quer dizer que Eliseu era Elias reencarnado, uma vez que ambos viveram juntos"
Observem primeiro que, se o versículo fala no espírito de Elias, então ele não estava mais na carne. Eliseu, ao que tudo indica, contava com o apoio espiritual de Elias, como um "anjo de guarda". E tanto é fato que Elias era um  espírito desencarnado, que, com Moisés, apareceu  enquanto os apóstolos estavam em transe mediúnico, cedendo ectoplasma para o fenômeno, e depois sumiram, durante a transfiguração do Cristo.
O Papa São Gregório Magno (590 a 604) proclamou que o Batista foi reencarnação de Elias (Homilia 7, “In Evangelio”, Patol. Lat., vol.76, Col. 1.100).

13 comentários:

Maria Helena disse...

Meu caro:
Ser Cristão é:
“Cristão [do gr. Christhos, messias] – Aquele que vive de conformidade com os ensinamentos de Cristo. Não basta crer em Cristo para ser cristão; é necessário, antes de tudo, executar os mandamentos deixados por Ele. Os melhores cristãos são os que se parecem com Cristo. Foi em Antioquia que os seguidores de Cristo passaram a ser conhecidos como cristãos - At 11.26” (Dicionário Teológico, Claudionor C. de Andrade). (2) “Cristão [Do lat. Chrstianu] – Do, ou relativo ou pertencente ao Cristianismo. Que o professa. Aquele que professa o Cristianismo, que é sectário dele” (Dicionário Aurélio). “Cristão– Seguidor de Cristo - At 11.26” (Dicionário da Bible Online).

Em síntese, ser cristão é crer que Jesus é o Filho de Deus, o Verbo que estava no princípio com Deus e que era Deus, e que se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.1,2,14; 3.18); é ser obediente aos Seus mandamentos (Jo 14.21); é ensinar o Evangelho que Ele nos ensinou (Mt 28.19-20); é crer que a Bíblia registra com fidelidade o Seu Evangelho (Jo 14.26); é crer que a Bíblia é a única regra de fé e prática (Jo 17.17; Rm 10.17; 2 Tm 3.16-17).
Deus o abençoe!

Isto é tudo o que o espiritismo não é!
Espiritismo é o oposto de cristianismo...

Maria Helena disse...

http://blogespiritismo.blogs.sapo.pt/

espiritismoehcristao disse...

E quais os mandamentos deixados por ele? Se resumem numa palavra: CARIDADE(o amor agape, amor ao próximo), conforme o Espiritismo nos ensina. Estou errado?
Pois, então, me mostre Cristo dizendo que é necessário crer que ele é Deus, que seu sangue(e não seus ensinamentos) nos redimem.... Oportunidade pra ensinar assim ele
teve. Quando questionado sobre qual caminho para a VIDA ETERNA colocou um samaritano, povo tido como herege, como um exemplo. Por que ? Porque o que ele mais combatia era o apego as escrituras sem transformação de caráter, conforma agiam os fariseus do tempo dele.
"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35)

Certamente não foi Jesus quem definiu quem é ou não cristão.
Cristo é sim o Filho de Deus, mas isso é justamente o OPOSTO de ser Deus. Explico sobre o que é ser o "verbo" e outras passagens bíblicas usadas para tentar provar que Jesus é Deus, sendo que Jesus sempre negou isso: se dizia, sim, o FILHO, o ENVIADO DE DEUS, que da parte dele nada podia fazer.

Quanto ao Evangelho, ensinamos o MESMO, o Evangelho do AMOR e não da intolerância com a fé dos outros.

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.(João 14:26)

Aqui não é dito que a Bíblia registra com fidelidade seu Evangelho, e sim que Cristo ainda tinha muito a dizer e que seus ensinos seriam esquecidos - e por isso seriam lembrados. De fato, esquecidos por quem busca uma "salvação pessoal" e deixou de lado o puro Evangelho do AMOR, que Cristo trouxe ao mundo.

"Bíblia única regra de fé..."

João 17:17: Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.

Diz o versículo 14: "Eu lhes dei a tua palavra; e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo."
Jesus se referia a palavra que Ele trouxe, a palavra de Deus que fez carne em Jesus. Nada a ver com a Bíblia.

Romanos 10:17 : De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.

Novamente, não fala da Bíblia como um todo mas da palavra revelada ao mundo por Jesus.

II Timóteo 3: Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; 17 para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.

Pois bem, a minha João F. de Almeida de 1948 diz: "Toda escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar...". Se assim é o correto, Paulo não disse que toda escritura é divinamente inspirada. Ele se referia as escrituras que realmente são inspiradas, desconsiderando outras. Aliás, Paulo também disse: "Examinai tudo e retende o que for bom" (I Tess. 5:21). Mas muitos fazem questão de não analisar nada, não usam da razão e depositam a fé no "Espírito Santo" para que aceitem qualquer bobagem como inspirada.

Se Paulo disse "toda escritura é divinamente inspirada.." e não "toda escritura divinamente inspirada é...", então isso contradiz os evangélicos e católicos. Não dizem eles que nem tudo é inspirado, e chamam de "apócrifos" livros que não constam em suas bíblias? Ainda por cima, a Bíblia protestante exclui livros que estão na Bíblia dos católicos, como Eclesiástico e Sabedoria. Aliás, outra grande contradição dos que insistem que a Bíblia é perfeita e infalível! Quem escolheu o que é divino e inspirado e o que não é divino, inspirado? O homem ou o próprio Deus? O homem, certo? Então, cadê a história do "aceitar a Bíblia por inteiro" ? Mais uma vez, está evidente que o homem que faz "Deus" dizer o que ele quer.

Alexandre Vaz disse...

Ja cansou de falar besteira filho? Vocês fazem contatos com demonios que se transformam em sei lá quem (pq o diabo nao pode criar nada, mas ele pode se transformar, fingir, etc.) e acham que são pessoas que já morreram. Vão discordar disso? Como vocês dizem acreditar em Deus e critirarem a palavra dEle? Depois somos nós Evangélicos que nos contradizemos.

espiritismoehcristao disse...

Alexandre,
Posso dizer mais "besteira", depois de você responder a minha postagem. Que tal? Vai tentar ou apenas sofismar e tentar ofender?

Demônios? Onde diz que são demônios se passando por mortos? Na Bíblia? Prove! Mas cite versículos bem explícitos.
Maus espíritos podem fingir, enganar. Isso é novidade? NENHUMA! Kardec já ensinava, isso não é novidade. Só que Cristo disse "pelos frutos os conhecereis",
e quando Paulo diz que "Satanás pode se passar por anjo de luz", diz que seu fim será de acordo com suas OBRAS,
ou seja, luz aparente, obras ruins. As possessões bíblicas, curadas por Jesus, são como as obsessões estudadas pelo Espiritismo.
Ou seja, sabemos da existências das duas faces, a da luz e a da escuridão, mas vocês acreditam que apenas o mal pode nos tentar,
Deus não permite que tenhamos contato com a LUZ. Que Deus justo e amor é esse? Aliás, por que permite
que pessoas nasçam médiuns, se, conforme acreditam, isso é uma abominação, coisa do diabo. Ora, mas ninguém é médium porque quer!
Tem gente que até quer e não consegue contato nenhum. Mas tem aqueles que são até procurados pelos espíritos - aliás, deveria
Deus também proibir esses espíritos de se comunicarem com os vivos, de os procurarem para os tentarem.

Samuel se manifestou DEPOIS DE MORTO, nada se diz sobre demônios. E então? Por que não aceitam?A "palavra de Deus" mentiu nesse ponto? Permitiu o engano de Satanás? Veja quem é o contraditório!
O Samaritano da parábola acreditava na salvação pela graça? Não, era caridoso, mesmo tido como herege, e por isso Jesus fez dele um EXEMPLO.
Por que não aceitam isso?

Dizem que a Bíblia não falha, é de Deus. Mas vocês querem distorcer, fazem ginástica, para não aceitar o que é dito claramente E QUE CONTRARIA VOCÊS, assim como está claro que ELIAS VEIO E NÃO FOI RECONHECIDO. Mais: "Desde os tempos de João Batista...", dito quando este VIVIA NA CARNE. E então, vocês
não aceitam, dizem tinha o mesmo ministério...
Nós não acreditamos que a Bíblia contenha apenas verdades, e então ficamos com o que importa para nós(principalmente, usamos a Bíblia para NOS DEFENDER
de fanáticos como você, ou seja, "não faça de sua Bíblia uma arma que a vítima pode ser você"). Se não aceitamos que seja 100% verdade, não temos mesmo que aceitá-la "de capa a capa" para não sermos chamados de contraditórios. Já quanto a vocês...

grandealma disse...

Boa tarde! Acho interessante a ignorância dessa senhora que se diz cristã (MARIA HELENA),se apegando tanto a letra,e esquecendo o que nos advertiu o apostolo Paulo quando disse:"meus filhos não se apegues a letra,entendei em espírito,porque a letra mata e o espírito vivifica".
Digo a ela,que ela pensando assim,é mais uma religiosa que uma verdadeira cristã. Aliás é uma cristã sim! de rótulo,como 99% dos que se dizem cristão hoje em dia.
Em primeiro lugar ela está julgando o que desconhece (o espiritismo)em segundo, não entende nada do que ensinou O NOSSO MESTRE JESUS.
Quando nos ensina que a verdadeira religião está sintetizada em dois mandamentos: "AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO" assim nos ensinou Jesus quando disse:"AI ESTÁ TODAS AS LEIS E OS PROFETAS"nos ensinando que o caminho que leva o HOMEM A DEUS é o amor ao próximo,e não religiões que foram criadas pelos homens,com suas teologias deturpadas e adaptadas,ao seus prazeres.
O outro senhor ALEXANDRE VAZ é o retrato da ignorância e do fanatismo,que é capaz(talvez)de matar pra defender a sua fé cega,como faziam os fanáticos católicos e protestantes na idade média.
O VERDADEIRO CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER ENXERGAR,PARA CONTINUAR EM SUA ACOMODAÇÃO.

Jefferson disse...

Já visitei o blog dessa senhora Maria Helena e seus textos são tão errôneos e deselegantes que nunca mais voltei. Vez por outra surgem fanáticos desse naipe.

Abrahão Ribeiro disse...

JOÃO BATISTA A REENCARNAÇÃO FÍSICA DE ELIAS

As cinco provas bíblicas que confirmam a REENCARNAÇÃO do profeta Elias


1) Na profecia escrita pelo profeta Malaquias 4. 5 – eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grandioso dia do Senhor (Antigo Testamento bíblico há 400 anos antes do Cristo);


2) Na palavra do anjo Gabriel ao Sacerdote Zacarias, em aparição espiritual no Templo de Jerusalém, quando anunciou a gravidez da mulher de Zacarias: " a tua oração foi ouvida, tua mulher dará a luz um filho e lhe porás o nome de JOÃO; porque será grande diante do Senhor, cheio de Espírito santificado desde o VENTRE materno, e converterá muitos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, e irá adiante dele no ESPÍRITO E VIRTUDE DE ELIAS" (evangelho de Lucas 1. 5 - 19)

3) NA PALAVRA DE JESUS quando deu um bom testemunho da missão de João Batista, chegando a engrandecer o nível intelectual de João, na época: “dos nascidos de mulher não apareceu ninguém maior que João”; depois Jesus revela confirmando a profecia de Malaquias 4. 5-6, do Antigo Testamento bíblico prevista há 400 anos passados: “Porque é este de quem está escrito. Eis que diante da tua face envio o meu mensageiro, que preparará diante de ti o teu caminho” – Evangelho de Mateus 11. 10

4) Na palavra de Jesus ao reafirmar a profecia: “E, se quereis dar crédito, é este o ELIAS que havia de vir” (Mateus 11. 14), vide profecia de Malaquias 4. 5 “Eis que vos envio o profeta Elias”



5) Na palavra de Jesus no Monte Tabor, após a transfiguração: “Mas digo-vos que Elias já retornou e não o reconheceram... ENTÂO OS DISCÍPULOS ENTENDERAM QUE JESUS LHES FALARA DE JOÃO BATISTA (Mateus 17. 13)

Estas são expressões da verdade bíblica que testificam a volta do profeta Elias ao plano físico terrestre em nova reencarnação nos fluidos da vida humana, fato este que se confirmou na pessoa humana de João Batista.

Aliás, essa história do profeta Elias foi toda truncada pelas mãos dos doutores bíblicos nas reformas religiosas que a Bíblia sofreu durante os séculos exatamente para dificultar o sentido da imortalidade, da preexistência, e da reencarnação que este grandioso ser foi submetido pela Providencia Divina a fim de servir de exemplo para humanidade.

VOZQCLAMA

http://vozqclamabr.blogspot.com.br/2013/12/joao-batista-reencarnacao-fisica-de.html

Silvio Ricardo Batista disse...

mas elias não morreu!

Rogerio André disse...

Silvio, leia o texto. Se Elias não morreu, onde está? Está em carne e osso em um mundo invisível?

O Espírito Consolador disse...

Ser Cristão não é crer, é amar, simplesmente, amar. O amor é ser cristão, amar não importa a quem. Ame a tudo e a todos quem ama crer, executa em seu coração, no seu cotidiano a benevolência de Deus.

José Alberto de Morais Pinto Morais Pinto disse...

A ideia da palavra cristão, foi de Marcos e ele definia Cristão como seguidores do Cristo. Seguidores do Cristo são aqueles que seguem os seus princípios e o principal deles é: "...Mas um mandamento vou, amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Nisto se resume todas as leis e os profetas,"(...) É muito simplório o "aceitar a Jesus", ingênuo, infantil. Deviam se perguntar: O que farei para que Jesus me aceite?

ivam lima disse...

É claro q Elias morreu no momento do arrebatamento,e passou a viver em espírito q é a verdadeira vida,o mesmo também aconteceu com Enoque,pois carne,sangue e ossos não herdam o reino dos céus.

Postar um comentário