"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Nós só morremos uma vez?

Versículo constantemente usado pelos apologistas cristãos:
"E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo," (Hebreus 9:27)
Isso de forma alguma nega a reencarnação. De fato, o nosso corpo morre uma só vez. O espírito não morre nunca. E quando morremos  somos imediatamente julgados pela nossa própria consciência, conforme os vários relatos de experiência de "quase morte", que mostram que a pessoa passa por uma recapitulação, onde os lances da vida passada do paciente surgem como se fossem revividos novamente e de uma só vez. Além disso, a pessoa sente os efeitos de suas ações boas ou más,  como se tivesse no lugar daquelas pessoas que as experimentaram. Desse modo, o paciente tem uma perfeita e justa avaliação das conseqüências de seus atos, tornando-se o seu próprio julgador.  

Em Hebreus 9:27, só aparece uma vez um artigo definido em “tois anthrôpois”, que significa “os homens”, entretanto, não há ocorrência de artigo definido antes de “krisis”, que significa “juízo”. Portanto, a tradução correta é “um juízo” e não “o juízo” como aparece na maioria das Bíblias.
O original  não afirma que, logo após a morte, ocorre apenas um único juízo para todos; todos em um só julgamento; um julgamento global. Segundo a regra gramatical do grego koiné, só existiam os artigos definidos e a ausência deles deixa apenas duas opções: Ou se traduz usando um artigo indefinido ou sem artigo algum.
Os vocábulos “meta”, “de” e “touto” têm a mesma função neste contexto, que é dar ênfase ao imediatismo, ou melhor, ao caráter imediato de algo ou algum evento que ocorre logo após o desenlace da vida. Trata-se de uma espécie de julgamento que ocorre logo depois da morte.


O original de Hebreus 9:27 afirma indubitavelmente que o homem (anthrôpois) – referindo-se ao homem carnal;corpo físico – morre apenas uma vez (apax apothanein), ou seja, o trecho em questão renega abertamente a ressurreição (um cadáver voltar à vida) e ainda diz taxativamente que há um juízo (krisis) imediante após o  falecimento, ou seja, cada pessoa passa por um juízo depois da morte, que seria, logicamente, um juízo individual e não o Juízo Final.
Aliás, o próprio Paulo disse que a ressurreição é  espiritual e não com o corpo carnal. E os que acreditam na ressurreição de Lázaro se contradizem citando esse versículo. Ou será que Lázaro continua vivo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário