"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O Inferno é mesmo eterno?

No Espiritismo há o que se pode chamar de inferno. Há   áreas de espíritos sofredores, que chamamos de zonas umbralinas. Mas esse sofrimento não é eterno.
É certo que a Bíblia diz sobre a eternidade do Inferno. Mas acontece que a palavra "aion" - assim como seu adjetivo "aionios" -  traduzida como "eterno",  na verdade significa "tempo indeterminado","duração indefinida", "longa duração".  E a mesma coisa com a palavra hebraica "olam".
"O conceito de eternidade nas línguas semíticas é o de uma longa duração e séries de eras" (Rev. J. S. Blunt - Dicionário de Teologia)
"'É do conhecimento de muitos", diz Bispo Rust, "que os judeus, seja escrevendo em hebraico ou em grego,  referem-se a olam (a palavra hebraica correspondente a aion), e a  aion no sentido de um certo período ou duração." "A palavra aion nunca é usada nas Escrituras, ou em nenhum outro lugar, no sentido de sem fim (vulgarmente chamado eternidade, ela significa, nas Escrituras e fora delas, um período de tempo; afinal, como poderia ela ter um plural - como poderia você falar em aeons e aeons de aeons como nas Escrituras?" (Charles Kingsley)
Prova disso é que há passagens onde também traduziram como "eterno" ou "para sempre" e esse significado não é suportado.
Exemplo: "Eu desci até os fundamentos dos montes; a terra encerrou-me para sempre com os seus ferrolhos; mas tu, Senhor meu Deus, fizeste subir da cova a minha vida. (Jonas 2:6)"
Jonas não esteve para sempre, eternamente,  na baleia.
Há vários outros exemplos: Canaã não foi dada para os judeus eternamente, Sodoma e Gomorra não estão queimando até hoje, o sacerdócio dos levitas não existe até hoje, etc.
Se "olam"/"aion"  significa para sempre, então os escravos hebreus, de milhares de anos atrás, devem estar servindo aos seus senhores até hoje:
"Mas se esse servo expressamente disser: Eu amo a meu senhor, a minha mulher e a meus filhos, não quero sair forro; então seu senhor o levará perante os juízes, e o fará chegar ã porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre." (Êxodo 21:5-6)

"Aionios"  é o adjetivo de "aion", significando "de longo tempo", "de longa duração". Pode significar "eterno" apenas em relação a Deus mas não no seu sentido original.
"Aion" tem plural, portanto não pode significar eterno. Há  frases onde a palavra "aion" é usada repetidamente na Bíblia, um "aion" adicionado a outro "aion". Mas como,  se "aion" deveria por si mesmo ser a eternidade, o infinito? Há  frases se referindo a um "aion" ou a uns "aions"  e  ALÉM   (ton aiona kai ep aiona kai eti: eis tous aionas kai eti. - Septuaginta -  Êxodo 15:18; Daniel 12:3; Miquéias 4:5.) Algumas vezes a Bíblia se refere  ao fim do "aion" (Mateus. 13:39,40,49; 24:3; 28:20; I Coríntios. 10:11; Hebreus. 9:26.), se referindo ao fim de um ciclo, de uma era, e não ao fim do mundo.
Alguns espertos tradutores ainda colocaram um "eterno" onde nem havia "olam"/"aion", como em Mateus 18:8:
“Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.”(no texto original, apenas fogo).
O fato é que Jesus sempre falou sobre um "temporário período de correção" (kolasin aionion) em contraste com os escritos pagãos que falavam sobre um "castigo eterno" (aidios timoria). A palavra SEMPRE usada pelos escritores gregos ao se referir a um castigo eterno é "aidios". Então, a Bíblia iria usar a palavra "aidios" se o inferno fosse eterno.  Já havia nos tempos do Cristo seitas que acreditavam numa punição eterna.
Vejamos o que diz "The Origins of Endless Punishment" ("As Origens da Punição Eterna") escrita por Hanson em 1899: "Por exemplo, os fariseus, de acordo com Josepho, achavam que a penalidade para o pecado era um tormento sem fim e eles declaram essa doutrina sem ambiguidade. Chamavam de eirgmos aidios (Prisão Eterna) e timorion adialeipton (Tormento sem fim) enquanto nosso Senhor chamava a punição do pecado de aionion kolasin  (longa punição)"
As palavras "eirgmos aidios" ou "prisão eterna" e "timorion adialeipton", "tormento sem fim", jamais aparecem no Novo Testamento. Claro, pois Deus é AMOR e é para ser AMADO e não TEMIDO.
Fonte:
http://flyinabove.bloghi.com/2005/11/28/aidios-the-greek-word-that-does-mean-eternal.html
http://www.biblicaluniversalist.com/Aion.html
http://www.victorzammit.com/articles/pope.html
http://www.veda.harekrsna.cz/encyclopedia/reincarnation.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário