"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Os Anjos que se Rebelaram

Jayme Andrade, livro "O Espiritismo e as Igrejas Reformadas":
   A lenda  dos anjos que se rebelaram (2o Pedro 2:4) também vale apenas como um símbolo, pois não há lógica na suposição de que Espíritos já chegados ao ponto máximo da perfeição (ou criados já perfeitos, segundo os nossos irmãos, o que seria ainda pior), pudessem alimentar sentimentos de orgulho ou revolta, pois se tal ocorresse, é evidente que não seriam perfeitos.
   Tudo, porém, encontra explicação nos quadros da Infinita Justiça do Pai Celestial. Hoje sabemos que os planetas passam por diferentes estágios de evolução, acompanhando o nível de progresso alcançado pelos seus habitantes. Mas é claro que nem todos os Espíritos evoluem uniformemente e assim cada orbe chega a um ponto em que os Espíritos recalcitrantes terão de ser expurgados para mundos inferiores, onde irão renascer não apenas como punição pela negligência no dever de elevação moral, mas igualmente com a missão de contribuírem para o progresso daqueles novos mundos, através das "idéias inatas" de que serão portadores.
   Basta compulsar a Gênesis para comprovar que a raça adâmica foi uma dessas desterradas de um mundo superior. As idéias inatas da "expulsão do paraíso", do castigo de "comer o pão com o suor do próprio rosto", a evidência de outras raças pré-adâmicas já existentes na Terra (Gên. 4:17 e 6:2) e a indubitável comprovação, pelas conquistas científicas modernas, de que o homem já existia na Terra muito antes da época assinalada pela cronologia bíblica, tudo isso se encaixa como uma luva à tese de que a lenda dos "anjos decaídos" nada mais é que um símbolo dessas transmigrações de Espíritos, as quais, de resto, não são tão raras quanto se poderia supor.
   Tudo nos leva a deduzir que o nosso planeta poderia achar-se em via de sofrer uma dessas transmigrações. O homem terráqueo se desenvolveu intectualmente, ou seja, cresceu em conhecimento ao ponto de dominar a tecnologia nuclear, mas com que finalidade está utilizando esse extraordinário avanço científico? Principalmente para alimentar a escalada da violência, em tal medida que as nações que lideram o mundo acumularam arsenais atômicos capazes de destruir, não somente uma, mas dezenas de vezes, tudo o que a civilização construiu em milênios.
    Então, em nossa caminhada pelo espaço (é sabido que o Sistema Solar inteiro segue uma determinada trajetória própria através do éter), estaríamos a aproximar-nos de um globo onde as condições de vida são ainda assaz rudimentares e para o qual todos os habitantes da Terra (encarnados e desencarnados) cuja evolução moral não tenha progredido paralelamente à sua evolução intelectual, terão de ser desterrados, ali reencarnando em condições as mais primitivas, com o duplo objetivo a que nos referimos acima.
    Essa transformação não se faria instantaneamente, porém de maneira lenta e progressiva, como tudo o que ocorre em escala cósmica. Daí a esperança nas profecias que prenunciam um Terceiro Milênio  de paz e fraternidade na Terra, pois aqui só permaneceriam os Espíritos que, por suas virtudes, merecessem usufruir as conquistas alcançadas pela civilização. Parece um sonho, ou fantasia? Tanta coisa existe neste mundo que para os Espíritos simplórios se configura irreal... Portanto, "quem tem ouvidos para ouvir, ouça!".

Nenhum comentário:

Postar um comentário