"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Resposta: “ESPIRITISMO, A MAIOR SABOTAGEM DA VERDADE”

Resposta ao texto que encontrei em diversas páginas na Internet.
 
Sabia que a feitiçaria, adivinhação, bolas de cristal, quiromancia, etc., estão aliados ao Espiritismo, e todos são igualmente condenados por Deus? “Não se achará entre ti…, adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos” (Deuteronômio 18:10,11).

Como sempre, confundindo Espiritismo com práticas de magia e citando versículos onde essa prática(comunicação com mortos aqui é para fins de adivinhação) é condenada.
Quanto a associar Espiritismo a magia e feitiçaria, escreveu Kardec: "Em todas as épocas tem havido pessoas médiuns por natureza ou inconscientes que, por produzirem fenômenos insólitos e não compreendidos, são qualificadas de bruxos ou feiticeiros e acusadas de ter pacto com Satanás. O mesmo aconteceu à maioria dos sábios que possuíam conhecimentos superiores aos do vulgo. A ignorância exagerou-lhes os poderes e muita  vez essas próprias pessoas abusaram da credulidade pública, explorando-a; daí a justa reprovação de que foram  objeto.  Basta comparar o poder atribuído aos feiticeiros com a faculdade dos médiuns propriamente ditos, para se estabelecer a diferença. A maioria dos críticos, porém, não se dão  a esse trabalho.
   Longe de ressuscitar a bruxaria, o Espiritismo a destruiu para sempre, despojando-a do seu pretenso poder sobrenatural, de suas fórmulas, despachos, amuletos e talismãs, reduzindo as  suas devidas proporções os fenômenos possíveis e que em verdade não ultrapassam o âmbito das leis naturais.
A semelhança que certas pessoas pretendem estabelecer decorre do erro em que incorrem, supondo que os Espíritos estão à disposição dos médiuns. Revoltam-se com a idéia de que possa depender, do primeiro pretensioso que apareça, o fazer voltar, ao seu bel prazer e onde bem entenda, o Espírito deste ou daquele personagem, mais ou menos ilustre.
   E nisto estão com toda a razão. Se, antes de condenar o Espiritismo, tomassem o trabalho de o conhecer melhor, ficariam sabendo que ele ensina terminantemente que os Espíritos não estão sujeitos aos caprichos humanos e que ninguém pode dispor deles, a seu bel-prazer e a sua revelia. Disso pode deduzir-se que os médiuns não são feiticeiros" - Allan Kardec, "Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita"

 
Deus determinou que médiuns espíritas fossem mortos? “A feiticeira não deixarás viver” (Êxodo 22:18).
Feiticeira…. Médium espírita? Sem comentários.

Sabia que para fazer negócios com o Espiritismo significa se contaminar, e assim tornar-se inadequado para se apresentar perante Deus para adorá-lO? “Não vos voltareis para os necromantes nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles: Eu sou o Senhor vosso Deus” (Levítico 19:31).

Necromantes, adivinhos, onde se fala em Espiritismo, que surgiu no século XIX com Kardec?

Sabia que Deus lança fora do Seu povo todos os que vão atrás das práticas do Espiritismo? “Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros… eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo” (Levítico 20:6).

Necromantes, feiticeiros…

Sabia que apedrejamento, levando à morte, foi a sentença que Deus proferiu contra os médiuns espíritas? “O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos: serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles” (Levítico 20:27).

Necromantes, feiticeiros…

Sabia que os cananeus foram destruídos devido à participação no Espiritismo? “Pois todo que faz tal cousa é abominação ao Senhor, e… teu Deus os lança de diante de ti” (Deuteronômio 18:12).

Explicando Deut. 18:

Sabia que quando Saul, rei de Israel, resolveu ser fiel a Deus, ele limpou da terra todos os médiuns espíritas? “Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos” (I Samuel 28:3).

Como pode, no Antigo Testamento, constar o termo "médium", criado por Kardec, no século dezenove ?
  Acontece que, mais uma vez, a culpa não provém de Deus, a sua origem é muito humana, bem terrena mesmo. É  responsabilidade de uma "Comissão Revisora", organizada no ano de 1943, pelas "Sociedades Bíblicas Unidas", hoje "Sociedade Bíblica do Brasil. A "Santa aventura protestante"  de manipular a Bíblia foi ressuscitada, em 1946, e por cerca de treze anos trabalhou a bel-prazer, com a finalidade da "necessidade inadiável de uma tradução das Santas Escrituras mais acurada consoante às línguas originais e redigida em português mais condizente com o linguajar destes dias".
      Então, assim foi feita uma revisão, bem humana, da "Sagrada Bíblia". Ressalto que, em lugar das palavras adivinho, feiticeiro e pitonisa, foi colocado o termo médium. Quando a Bíblia se refere à mediunidade utilizada por pessoas de má fé, a "Comissão" denomina seus praticantes de médiuns. Na mediunidade exercida para o bem, mantém a palavra profeta, sem substituí-la por médium.
      Se o "diabo"  existisse, certamente estaria presente em tal empreitada trevosa.
      É importante frisar que o discípulo João, ao terminar o Livro do Apocalipse (capítulo 22, versículos 18 e 19) chama a atenção dos adulteradores das Escrituras, alertando-os para os flagelos que lhes serão acrescentados em caso de qualquer acréscimo, e: "Se alguém tirar qualquer coisa, Deus tirará também a sua parte da árvore da Vida da cidade santa...".

Sabia que quando o próprio Saul consultou uma médium espírita, foi porque seus pecados haviam tornado impossível sua comunicação com Deus? “Consultou Saul ao Senhor, porém este não lhe respondeu…”(I Crônicas 10:13).

Diz a Bíblia que Saul tentou contato com Deus através de sonhos e ainda do urim e tumim.
Transcrevo abaixo um trecho:
"Certamente que no versículo 6   está dito que Saul tentou, por várias formas, se comunicar com  Deus e não foi atendido; entretanto, como Samuel  “mesmo depois de sua morte, ele profetizou, predizendo ao rei o seu fim. Mesmo do sepulcro, ele levantou a voz, uma profecia, para apagar a injustiça do povo” (Eclo 46,20), fica evidente que apenas dessa forma, ou seja, consultando os mortos, é que ele, Saul, foi atendido por Deus. Disso temos plena convicção, pois nada acontece sem que haja permissão divina, já que “até os cabelos de vossas cabeças estão contados” (Mt 10,30), o que significa que Deus mantém tudo sobre pleno controle.
Já que tocamos no livro Eclesiástico, vejamos o texto pela Bíblia Sagrada Edição Barsa, Tradução do Pe. Antônio Pereira de Figueiredo; lemos (p. 571): “E depois disto dormiu Samuel o sono da morte, e apareceu ao rei, e lhe predisse o fim  da sua vida, e saindo da terra, levantou a sua voz, profetizando o golpe, que estava para se descarregar sobre a impiedade da nação” (Eclo 46,23). A narrativa é cristalina quanto à realidade da manifestação de Samuel, confirmando também a questão a respeito da profecia. Entretanto, sabemos que este livro não consta de algumas Bíblias protestantes; sendo assim, então, perguntamos, afinal, qual é  a VERDADEIRA? A dos católicos ou a dos protestantes? Com base em que poderemos dizer que seja uma ou outra?  “A verdade não pode existir em coisas que divergem”, palavras deSão Jerônimo na carta-prefácio da Vulgata.
Entretanto, se descreve na Bíblia que havia duas pedras, em   forma de dados, denominadas de urim e tumim, que eram tidas como sagradas, com as quais buscavam saber da vontade de Deus. O sacerdote, diante de um problema que lhe apresentavam, jogava essas pedras da sorte para cima e de conformidade como ficavam, após caírem ao chão, ele interpretava como sendo um “sim” ou um “não”, em resposta à consulta formulada.
Exatamente como um popular “cara ou corôa”, no qual se joga uma moeda para o alto, quando, normalmente, queremos decidir alguma coisa sem ser parcial.
Uma outra forma que viam  como resposta de Deus eram os sonhos; mas aí temos campo aberto às especulações, uma vez que suas interpretações nada mais são que algo, se não igual, bem próximo das adivinhações, as quais eram proibidas.
Absolutamente correto ao dizer que Deus não muda; por isso, não acreditamos nas narrativas onde se diz que Ele tenha-se arrependido de alguma coisa. E haja arrependimento atribuído a Deus na Bíblia... Entretanto, como já demonstramos anteriormente, que a proibição de evocar os mortos não partiu da divindade, a contradição fica por conta dos que acreditam que ela seja de Sua autoria.
E, se formos levantar esmiuçadamente, encontraremos inúmeras passagens em  que perceberemos Deus mudando de opinião; podemos citar, um exemplo, pedindo ao leitor para confrontar Dt 24,16 com as passagens 2Sm 12,13-14 e 1Rs 21,29.
A passagem, citada, em que se encontra a pena, não por se comunicar com os mortos, mas por praticar a adivinhação é essa:  “O homem ou mulher que pratica a necromancia ou adivinhação, é réu de morte. Será apedrejado, e o seu sangue cairá sobre ele" (Lv  20,27).
Primeiramente, pedimos coerência aos que usam   os textos bíblicos, evitando-se cair no ridículo, pois, se foi dito, e acreditamos nisso, que Deus não muda, essa ordem não poderá ter vindo Dele, uma vez que estabeleceu:  “Não matarás”  (Ex 20,13), fato que, mais uma vez, reforça que Moisés usou e abusou do nome de Deus para estabelecer normas de conduta ao então rebelde povo hebreu.
Ainda, na mesma linha de pensamento, podemos também   apoiar em Jesus para justificar que tal lei não é mesmo divina, uma vez que ele, entre outras coisas, não ordenou que se apedrejasse a mulher adúltera (Jo 8,3-11), apesar da recomendação “divina” (Dt22,22-24)."

Sabia que Saul perdeu o trono e teve uma morte miserável porque essa foi a condenação de Deus por ele ter se envolvido com o Espiritismo? “Assim morreu Saul porque interrogara e consultora uma necromante” (I Crônicas 10:13).

Transcrevo outro trecho do link acima:

"O método usado para as consultas era, conforme já demonstramos um  pouco mais atrás, jogando-se as pedras das sortes –  urim e tumim -, ou seja, um  verdadeiro “cara ou coroa”, que valia como forma de se consultar a Deus, coisa que não se faz ao consultar os mortos, já que isso é feito com seriedade e devoção, porquanto, eles continuam merecendo o nosso respeito, apesar de estarem noutra dimensão da vida; aliás, seria melhor dizer naquela que é a nossa verdadeira pátria.
E aqui o que Saul estava fazendo, ou seja, evocando os mortos para fins de adivinhação (necromancia), é coisa lamentável mesmo, o que é reprovado por nós."

Sabia que um dos piores pecados que o perverso Manassés cometeu foi o espiritismo? “[Ele] adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçaria, e tratava com necromantes e feiticeiros… para provocar [o Senhor] à ira” (II Crônicas 33:6).

Necromantes, feiticeiros…

Sabia que uma das razões porque Deus rejeitou Israel foi pelo seu envolvimento com Espiritismo? “Pois, tu, ó Senhor, desamparaste o teu povo, a casa de Jacó, porque… são agoureiros como os filisteus” (Isaías 2:6).

Agoureiros..

Sabia que é um insulto a Deus a consulta aos mortos, pois Ele quer que interroguemos diretamente a Ele? “Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos… acaso não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?” (Isaías 8:19).

Citarei Severino Celestino da Silva, que afirma em seu livro "Analisando as traduções Bíblicas" que esse versículo não condena a mediunidade. Muito pelo contrário. E segundo ele o versículo não diz "o seu Deus" mas "os seus deuses".
"Expressamente Isaías questiona: Por que não consultar os mortos em favor dos vivos? Observe a tradução do texto literal e veja o que realmente significa. Isaías demonstra que não existe motivo para não se receber daqueles que estão do outro lado as suas experiências, os seus fracassos e suas vitórias. Isto, é claro, em favor dos que se encontram na matéria, para que se modifiquem e mudem suas condutas e procedimentos em favor de si mesmos, a fim de conseguirem sua evolução espiritual
"Se vos disserem: "Ide consultar os feiticeiros e adivinhos, cochichadores e balbuciadores", acaso não consultará o povo os seus deuses, e os mortos a favor dos vivos"?."

Por que não consultar os mortos? POR QUE NÃO?  O versículo confirma também que os “deuses”, assim como o Jeová, eram na verdade espíritos.

Sabia que o homem rico não pôde comunicar-se com seus irmãos após a morte, e Lázaro também não pôde? (Leia Lucas 16:19-31). Portanto, não é possível a comunicação com os mortos. Quem se manifesta nessas tentativas de comunicação com as pessoas falecidas são os demônios, que fingem ser essas pessoas. Os mortos não voltam. (Vejam II Samuel 12:15-23).

Continuo desafiando nesse blog que me provem que a Bíblia afirma isso: Mortos não se comunicam,é o diabo enganando.A Parábola não diz ser impossível, e sim que NÃO ACREDITARIAM.

E quanto a II Samuel:

"15 Depois que Natã foi para casa, o Senhor fez adoecer o filho que a mulher de Urias dera a Davi.  
16 E Davi implorou a Deus em favor da criança. Ele jejuou e, entrando em casa, passou a noite deitado no chão.  
17 Os oficiais do palácio tentaram fazê-lo levantar-se do chão, mas ele não quis, e recusou comer.  
18 Sete dias depois a criança morreu. Os conselheiros de Davi ficaram com medo de dizer-lhe que a criança estava morta, e comentaram: "Enquanto a criança ainda estava viva, falamos com ele, e ele não quis escutar-nos. Como vamos dizer-lhe que a criança morreu? Ele poderá cometer alguma loucura!"  
19 Davi, percebendo que seus conselheiros cochichavam entre si, compreendeu que a criança estava morta e perguntou: "A criança morreu?" "Sim, morreu", responderam eles.  
20 Então Davi levantou-se do chão, lavou-se, perfumou-se e trocou de roupa. Depois entrou no santuário do Senhor e o adorou. E, voltando ao palácio, pediu que lhe preparassem uma refeição e comeu.  
21 Seus conselheiros lhe perguntaram: "Por que ages assim? Enquanto a criança estava viva, jejuaste e choraste; mas, agora que a criança está morta, te levantas e comes!"  
22 Ele respondeu: "Enquanto a criança ainda estava viva, jejuei e chorei. Eu pensava: Quem sabe? Talvez o Senhor tenha misericórdia de mim e deixe a criança viver.  
23 Mas agora que ela morreu, por que deveria jejuar? Poderia eu trazê-la de volta à vida? Eu irei até ela, mas ela não voltará para mim"."

Se isso nega algo é a ressurreição da carne, não a mediunidade.


Sabia que Pedro condenou Simão que usava sortilégio e enfeitiçava o povo? (Atos 8:6-24).

Sortilégios, feitiços…


Sabia que Paulo fez Elimas, o mágico, se tornar cego? (Atos 13:6-12).

Mágico? O que temos com isso?

Sabia que o médium espírita é possesso de demônios, como a jovem de Filipos, de quem Paulo expulsou um demônio em nome de Jesus. (Atos 16:16-18).

Médium espírita?
Faço questão de transcrever:
16 Certo dia, quando íamos para a oração, veio ao nosso encontro uma jovem
escrava que tinha o espírito de Píton. Com suas adivinhações dava muito lucro
aos patrões. 17 Começou a seguir Paulo e a nós, gritando: “Estes homens são
servos do Deus altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação”. 18 Isto
repetiu-se por muitos dias. Enfim, aborrecido, Paulo voltou-se para ela e disse
ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo, ordeno-te sair desta moça”. No mesmo
instante o espírito saiu. (At 16)


   Mediunidade não é exclusividade do Espiritismo.  Nesse caso, se tratava de um espírito adivinho (Píton), dando lucro  aos seus patrões. O Espiritismo ensina que o médium deve seguir o que ensinou o Cristo: "Dai de graça o que de graça recebeste".
Acredito que os dirigentes religiosos dogmáticos, acostumados a faturar muito bem, em suas crenças, utilizam o recurso psicológico da projeção, procurando ver nos outros  aquilo que neles existe em abundância.
Portanto, que fique claro, na Doutrina Espírita não existe trabalho de necromancia, nem adivinhos, procurando obter qualquer tipo de lucro material ou não.
Mas por que confundem as coisas ?  O Espiritismo, que aceita as inúmeras passagens bíblicas que têm coerência,  faz sempre referência a uma delas que raramente ou nunca se vê citada em uma igreja ou programa de televisão protestante: "dai de graça o que de graça recebestes!".  Sabem quem é o autor desta recomendação ? Não foi Moisés ou Isaías, mas JESUS. Isso incomoda! Elegem o Espiritismo  como o alvo principal dos ataques, procurando atingir com todo o tipo de arma disponível, recorrendo até a calúnia, à difamação e aos discursos desonestos. Dizem dele o que ele não é, nunca foi e nunca será. Tentam, à revelia,  afirmar que as referências bíblicas aos feiticeiros, adivinhadores, agoureiros, etc., dizem respeito ao Espiritismo, que na verdade não tem nada que possa ser considerado próximo disso. Em lugar nenhum onde se pratique Espiritismo você verá qualquer prática de adivinhação, agouro ou feitiçarias. É impressionante como fazem análises religiosas sem compromisso com a realidade!

Sabia que cristãos verdadeiros não devem associar de qualquer forma com as práticas negras do Espiritismo? (Atos 19:19).

Atos 19:19 Muitos também dos que tinham praticado artes mágicas ajuntaram os seus livros e os queimaram na presença de todos; e, calculando o valor deles, acharam que montava a cinqüenta mil moedas de prata.
 
Sabia que o Espiritismo é uma das obras da “carne” e que aqueles que participam no Espiritismo nunca poderão herdar o reino de Deus? (Gálatas 5:19-21).

O texto fala em feitiçaria, ciúmes, iras, discórdias, invejas, dissensões...    Estão longes dos frutos do Espiritismo, que são amor, paz, bondade, mansidão.
    Atualmente, a religião protestante é constituída por inúmeras facções, conseqüência de discórdias e dissensões, exatamente contrariando a pregação de Paulo, aos Gálatas.

Sabia que aqueles que não se arrependem das práticas do Espiritismo não têm lugar no céu, mas serão lançados no lago que arde com fogo e enxofre? (Apocalipse 21:8; 22:15).

 Mas passagens onde misturam Espiritismo com práticas de magia. Bom tomar cuidado os que nisso insistem, pois Apocalipse 22:15  diz: "Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a MENTIRA".(maiúsculas por minha conta)

Sabia que os ensinamentos do Espiritismo são “doutrinas de demônios”? “Ora,… nos últimos tempos alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (I Timóteo 4:1).

Então,os ensinamentos do Cristo(amor, perdão, mansidão…), que são os mesmos do Espiritismo,  são ensinos do demônio?
“Pelos frutos os conhecereis”.
I Tim 4,1 fala que existem espíritos mentirosos, assim como João disse:  "Não creiais em todos os espíritos, mas provai se os espíritos são de Deus" e o próprio Paulo ensinou na II  Epistola aos Coríntios  a metodologia das reuniões mediúnicas, para não haver enganos, falando no "dom de discernir os ESPÍRITOS", "os ESPÍRITOS dos profetas estão  sujeitos aos profetas".  Assim, não foram contra as comunicações, mas, da mesma forma que Kardec em O Livro dos Médiuns, ensinavam a reconhecer quais espíritos são dignos de crédito.  Em O Livro dos Espíritos está bem claro que os espíritos não esclarecidos "se mascaram de todas as maneiras para melhor enganar", ou seja, a mesma advertência dos apóstolos. Mas para os evangélicos e católicos não há espíritos de Deus, são todos enganadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário