"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Título "Filho de Deus" contraria a idéia da Trindade

Em Isaías 9:6 lemos a promessa da vinda do Messias: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu".
E em João 3:16: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."
Foi dito que Jesus é filho de Deus e que Deus deu seu filho ao mundo.  Os que defendem a idéia da Trindade se apóiam muito neste último  versículo quando tentam provar que Deus veio ao mundo para morrer pelos nossos pecados. Dizem que Jesus, sendo o único filho que Deus  mandou ao mundo é, então, o próprio Deus.
Hebreus 11:17 diz: "Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito".
Abraão tinha dois filhos. Ismael e Isaque. Ismael era 13 anos mais velho do que Isaque. Mesmo assim, está escrito que Isaque era o filho unigênito(filho único) de Abraão. Se Jesus é "Filho unigênito de Deus", isso não significa que ele é literalmente o único filho de Deus e muito menos o próprio Deus. É uma forma poética de dizer o quanto Jesus é importante para Deus, pela missão que teve em nosso mundo.
Kardec em "Obras Póstumas" diz: "O título de Filho de Deus, longe de implicar a igualdade, é bem antes o indício de uma submissão; ora, deve estar submetido a alguém e não a si mesmo.  Para que Jesus fosse o igual absoluto de Deus, seria necessário que fosse como ele, de toda a eternidade, quer dizer, que fosse incriado; ora, o dogma diz que Deus o engendrou de toda a eternidade; mas quem disse engendrar diz criar; que isso seja, ou não, de toda a eternidade, não se é menos uma criatura, e, como tal, subordinada a seu Criador; é a idéia implícita encerrada na palavra Filho.
Jesus nasceu no tempo? De outro modo dito: foi um tempo na eternidade, na eternidade passada, onde ele não existia? Ou bem é co-Eterno com o Pai? Tais são as sutilezas sobre as quais discutiu-se durante os séculos. Sobre qual autoridade se apóia a doutrina da co-eternidade passada ao estado de dogma? Sobre a opinião dos homens que a estabeleceram. Mas esses homens, por qual autoridade fundaram a sua opinião? Isso não é sobre a de Jesus, uma vez que se declara subordinado; não é sobre a dos profetas que o anunciam como o enviado e o servidor de Deus. Em quais documentos desconhecidos, mais autênticos do que os Evangelhos encontraram essa doutrina? Aparentemente, na consciência e na superioridade de suas próprias luzes.
Deixemos, pois, essas vãs discussões que não poderiam terminar, e cuja solução mesmo, se fora possível, não tornaria os homens melhores. Digamos que Jesus é Filho de Deus, como todas as criaturas; ele o chama seu Pai como nós aprendemos a chamar nosso Pai. É o Filho bem-amado de Deus porque, tendo chegado à perfeição que o aproxima de Deus, possui toda a sua confiança e todo o seu afeto; ele se diz, ele mesmo, Filho único, não que seja o único ser chegado a esse grau, mas porque só ele estava predestinado a cumprir essa missão sobre a Terra."
De fato, versículos como esses abaixo explicitamente mostram a submissão de Jesus a Deus, como o enviado que trouxe ao mundo os ensinos que não são dele e sim daquele que o enviou:
"Não tenho estado a dar-vos as minhas próprias idéias, antes transmiti o que o Pai me ensinou.  " (João 8:28)
"O Pai é maior do que eu" (João 14:28)
"Pai, entrego-te o meu espírito" (Lucas 23:46)
"Porque me chamas bom? Só Deus o é verdadeiramente" (Marcos 10:18) (Se Jesus é Deus, então não é nada humilde. Das duas uma)
"Contudo, ninguém sabe a data e a hora em que o fim virá, nem mesmo os anjos, nem sequer o Filho de Deus. Só o Pai o sabe." (Mateus 24:36)
"Procurais tirar-me a vida, a mim que sou um homem, que vos tenho dito a verdade que de Deus ouvi" (João, 8:40) (Veja que ele NEGA a acusação de que é Deus. É um enviado, é filho de Deus, trouxe a verdade que ouviu de Deus e não a sua)
"Eu não falei de mim mesmo, mas o Pai que me enviou é o mesmo que me prescreveu o que devo dizer e o que devo falar"(João 12:49) (Muito claro. Não falou por ele, um homem, mas trouxe a palavra de Deus, aquele que o enviou)
"E o Pai que me enviou, ele mesmo tem dado testemunho de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua forma; " (João 5:37)
"Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer. " (João 15:15)
Diz ainda João 17:3: "E a vida eterna significa conhecer-te a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste ao mundo.". Bem claro, Deus é Deus e Jesus é o homem enviado por Deus.
E escreveu também João sobre Deus: "Ninguém jamais viu a Deus; e nos amamos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é em nós aperfeiçoado."(I João 4:12) . Ninguém viu Deus, mas Jesus foi visto.
Escreveu Paulo: "todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também. " (I Coríntios 8:6).  Paulo também afirma em I Coríntios 11:3 que Deus é a cabeça de Cristo e em Hebreus 10:12 que Jesus(em sentido metafórico, é evidente) está sentado à direita de Deus. Escreveu também: "assim também Cristo não se glorificou a si mesmo, para se fazer sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, hoje te gerei; ". Se foi GERADO, como pode ser Deus?
Filho de Deus no caso era um título honroso para aqueles realmente voltados ao bem, os espíritos puros, como de fato era Jesus. Todos nós seremos Filhos de Deus, e para isso precisamos evoluir espiritualmente:
9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.(Mateus 5:9)
44 Eu, porém, vos digo: amai  aos vossos inimigos, e orai pelos que
vos perseguem;
45 para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque
ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos
e injustos.
46 Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem
os publicanos também o mesmo? (Mateus 5:44-46)
  48 Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial. (Mates 5:48)


  Pra acreditar na Trindade tem que ser politeísta, acreditar numa hierarquia de deuses, afinal  vários versículos falam explicitamente no Deus de  Jesus, como em Mateus 27:46, João 20:17, Efésios 1:17, Apocalipse 1:6, etc. .
  Jesus não é co-eterno com o Pai, como diz o Dogma da Trindade. Ou seja, ele teve um princípio.  Em nenhuma parte da Bíblia você encontrará expressões como "Deus Filho" , "Filho, o Deus" ou, ainda, "Filho, o Espírito Santo". Ele é o primogênito  (prototokos) da criação (Colossenses. 1:15),  e isso significa que foi criado e não é Criador. Foi criado muito antes deste mundo, do qual hoje é dirigente. Apocalipse 3:14 diz que ele é o princípio da criação de Deus. Portanto, Jesus foi criado, Jesus teve um começo na criação, ao contrário do que homens inventaram ao criar esse dogma absurdo e confuso inspirado no paganismo.
.Ainda no Velho Testamento, lemos em Provérbios 8:22 sobre Jesus: "O Senhor me criou como a primeira das suas obras, o princípio dos seus feitos mais antigos. ". Se Jesus foi criado, de onde tiraram, então, essa idéia de que Jesus é co-eterno como o Pai, conforme diz o dogma da Trindade? Jesus, para nós espíritas, é dirigente, governador espiritual de nosso planeta, o espírito mais evoluído que já encarnou em nosso mundo,  tendo sido CRIADO há muitos e muitos anos antes da Terra e já era um espírito perfeito quando esse mundo nosso foi criado, tendo inclusive colaborado em sua criação.
Muitos outros antes de Jesus foram chamados de Filho de Deus sem ser Deus.
Êxodo 4:22 diz que Israel é o filho primogênito de Deus, portanto ainda antes de Jesus. Israel é Deus?
Em Jeremias 31:9 lemos a mesma coisa em relação a Efraim, outro nome de Israel.
Em Salmos 2:7 Yahweh diz que David é seu filho. Então, David é Deus?
O título Filho de Deus não foi o único dado a Jesus, mas também Filho do Homem e Filho de David, isso mais de 1000 anos depois de David.
Será que David é Deus, desde que Jesus é Filho de David? Por que católicos não idolatram também a David, como fazem com Maria?
      O único Deus verdadeiro é o Pai. Jesus apenas um enviado. Filho de Deus é diferente de Deus filho. Filhos de deuses com forma humana ou parte divindade e parte humana são comuns em outras religiões e mitologias. Em uma das lendas mais antigas da Humanidade, Gilgamesh é metade humano e metade divino. E o mito metade homem e metade Deus mais conhecido é Hércules. Para esses mitos, ser "filho de Deus" era o mesmo que ser o próprio Deus. (Leia - em inglês -  http://en.wikipedia.org/wiki/Son_of_God). Como o Novo Testamento foi escrito em grego, com certeza foi influenciado negativamente pelo paganismo, onde Jesus sendo chamado de "Filho de Deus" é interpretado como sendo "metade Deus" ou o "Criador do Universo".
      No livro A Caminho da Luz, Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, narra a participação de Jesus na formação do nosso planeta:
"Sim, ele (Jesus) havia vencido todos os pavores das energias desencadeadas; com as suas legiões de trabalhadores divinos, lançou o escopro da sua misericórdia sobre o bloco da matéria informe, que a Sabedoria do Pai deslocara do Sol para as suas mãos augustas e compassivas. Operou a escultura geológica do orbe terreno, talhando a escola abençoada e grandiosa, na qual  seu coração deveria expandir-se em amor, claridade e justiça. Com seus exércitos de trabalhadores devotados, estatuiu os regulamentos dos fenômenos físicos da Terra, organizando-lhes o equilíbrio futuro na base dos corpos simples da matéria, cuja unidade substancial os espectroscópios terrenos puderam identificar por toda parte no universo galáctico. Organizou o cenário da vida, criando, sob as vistas de Deus, o indispensável à existência dos seres do porvir. Fez a pressão atmosférica adequada ao homem, antecipando-se ao seu nascimento no mundo, no curso dos milênios; estabeleceu os grandes centros de força da ionosfera e da estratosfera, onde se harmonizam os fenômenos elétricos da existência planetária, e edificou as usinas de ozônio a 40 e 60 quilômetros de altitude, para que filtrassem convenientemente os raios solares, manipulando-lhes a composição precisa à manutenção da vida orgânica na orbe. Definiu todas as linhas do progresso da Humanidade futura, engendrando a harmonia de todas as forças físicas que presidem o ciclo das atividades planetárias."
Passagens como essas justificam a frase que se encontra no prólogo do Evangelho de João: No princípio era o Verbo(o Logos). Este início, porém, não deve ser entendido como o início do Universo, mas como os primórdios do nosso planeta, nos quais Jesus esteve presente como o Sublime Escultor, Artista Divino, a quem coube, pela vontade do Pai, comandar um grupo de espíritos trabalhadores, que formaram o nosso planeta para a recepção de espíritos que aqui passariam por etapas fundamentais ao seu progresso. No momento adequado veio ao mundo em uma missão para acelerar o progresso da Humanidade, trazendo sua mensagem de amor que muitos ainda não entenderam mesmo dizendo seus seguidores.
  "E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. " (Mateus 28:18)
Se foi dado a Jesus poder sobre o céu(mundo espiritual) e sobre a terra (plano físico) é porque ele não é Deus, pois se fosse Deus já teria esse poder desde o início, não lhe seria dado esse poder. Mas o Espiritismo explica que Deus deu a ele poder sobre este mundo, principalmente depois de sua missão. Jesus é, na falta de um termo melhor, o Governador do Nosso Mundo, o seu Guia, e outros termos pelos quais se possa dar idéia das relações amorosas entre Jesus e a Humanidade inteira. 

jesus
Jesus orava ao seu Pai, o ÚNICO DEUS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário