"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

sábado, 26 de março de 2011

O Antigo Testamento foi revogado por Jesus.

Há os que nos criticam por não seguirmos a toda a Bíblia, como se cristão seguisse a Moisés e não a Cristo, e o fazem principalmente para insistir que Deus condena o Espiritismo. Os que usam o Velho Testamento para nos atacar, deveriam seguir todo o Velho Testamento, para nós revogado por Jesus. Se acham ainda que Jesus não revogou, deveriam então seguir leis como essas:

Gn 17,9-11: “Disse mais Deus a Abraão: Guardarás a minha aliança, tu e a tua
descendência no decurso das suas gerações. Esta é a minha aliança, que guardareis
entre mim e vós, e a tua descendência: todo macho entre vós serás circuncidado.
Circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e
vós”.

Gn 17,14: “O incircunciso, que não for circuncidado na carne do prepúcio, essa vida
será eliminada do seu povo; quebrou a minha aliança”.
Ex 20,24: “Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus
holocaustos, as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, e os teus bois; em todo o
lugar onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti, e te abençoarei”.
Ex 21,2: “Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas ao sétimo sairá
forro, de graça”.
Ex 21,7: “Se um homem vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá
como saem os escravos”.
Ex 21,12: “Quem ferir a outro de modo que este morra, também será morto”.
Ex 21,15: “Quem ferir a seu pai ou a sua mãe, será morto”.
Ex 21,16: “O que raptar a alguém, e o vender, ou for achado na sua mão, será
morto”.
Ex 21,17: “Quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto”.
Ex 21,23-25: “Mas se houver dano grave, então darás vida por vida, olho por olho,
dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura,
ferimento por ferimento, golpe por golpe”.
Ex 22,2: “Se um ladrão for achado arrombando uma casa, e, sendo ferido,
morrer, quem o feriu não será culpado do sangue”.
Ex 22,16: “Se alguém seduzir qualquer virgem, que não estava desposada, e se
deitar com ela, pagará seu dote e a tomará por mulher”.
Ex 22,18: “A feiticeira não deixarás viver”.
Ex 22,19: “Quem tiver coito com animal, será morto”.
Ex 22,20: “Quem sacrificar aos deuses, e não somente ao Senhor, será destruído”.
Ex 31,14: “Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós outros; aquele que
o profanar morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do
meio do seu povo”.
Ex 34,19: “Todo que abre a madre é meu, também de todo o teu gado, sendo macho,
o que abre a madre de vacas e de ovelhas”.
Ex 34,20: “O jumento, porém, que abrir a madre, resgatá-lo-ás com cordeiro; mas, se
o não resgatares, será desnucado Remirás todos os primogênitos de teus filhos.
Ninguém aparecerá diante de mim de mãos vazias”.
Ex 34,26: “As primícias dos primeiros frutos da tua terra trarás à casa do SENHOR teu
Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua própria mãe”.
Lv 11,7-8: “Também o porco, porque tem unhas fendidas, e o casco dividido, mas não
rumina; este vos será imundo, da sua carne não comereis, nem tocareis no seu
cadáver; estes vos serão imundos”.
Lv 11,21-22: “Mas de todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés, cujas
pernas traseiras são mais compridas, para saltar com elas sobre a terra, estes
comereis. Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto
devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto
segundo a sua espécie”.
Lv 12,2: “Fala aos filhos de Israel: Se uma mulher conceber e tiver um menino,
será imunda sete dias, como nos dias da sua menstruação será imunda”.
Lv 19,11: “Não furtareis, nem mentireis, nem usareis de falsidade cada um com
o seu próximo;”.
Lv 19,26: “Não comereis cousa alguma com o sangue; não agourareis nem
adivinhareis”.
Lv 19,27: “Não cortareis o cabelo em redondo, nem danificareis as
extremidades da barba”.
Lv 20,9: “Se um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto:
amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue cairá sobre ele”.
Lv 20,10: “Se um homem adulterar com a mulher do seu próximo, será morto o
adúltero e a adúltera”.
Lv 20,13: “Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse
mulher, ambos praticaram cousa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá
sobre eles”.
Lv 20,18: “Se um homem se deitar com a mulher no tempo da enfermidade
dela, e lhe descobrir a nudez, descobrindo a sua fonte, e ela descobrir a fonte do seu
sangue, ambos serão eliminados do meio do seu povo”.
Lv 20,27: “O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros,
serão mortos: serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles”.
Lv 21,9: “Se a filha dum sacerdote se desonra, prostituindo-se, profana a seu pai:
com fogo será queimada”.
Lv 21,17-20: “Fala a Arão, dizendo: 'Ninguém dos teus descendentes nas suas
gerações, em quem houver algum defeito, se chegará para oferecer o pão do seu
Deus Pois nenhum homem em quem houver defeito se chegará: como homem cego,
ou coxo, de rosto mutilado, ou desproporcionado, ou homem que tiver o pé quebrado,
ou a mão quebrada, ou corcovado, ou anão, ou que tiver belida no olho, ou sarna, ou
impigens, ou que tiver testículo quebrado'”.
Lv 26,7: “Perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós”.
Dt 21,15-16: “Se um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a
quem aborrece, e uma e outra lhe derem filhos, e o primogênito for da aborrecida, no
dia em que fizer herdar a seus filhos aquilo que possuir, não poderá dar a
primogenitura ao filho da amada, preferindo-o ao filho da aborrecida, que é o
primogênito”.
Dt 21,18-21: “Se alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedece à
voz de seu pai e à de sua mãe, e, ainda castigado, não lhes dá ouvidos, pegarão nele
seu pai e sua mãe e o levarão aos anciãos da cidade, à sua porta, e lhes dirão: Este
nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz: é dissoluto e beberrão.
Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; assim
eliminarás o mal do meio de ti: todo o Israel ouvirá e temerá”.
Dt 22,10: “Não lavrarás com junta de boi e jumento”.
Dt 22,23-24: “Se houver moça virgem, desposada, e um homem a achar na cidade e
se deitar com ela, então trareis ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis,
até que morram; a moça, porquanto não gritou na cidade, e o homem, porque
humilhou a mulher do seu próximo; assim eliminarás o mal do meio de ti”.
Dt 23,2: “Nenhum bastardo entrará na assembléia do Senhor; nem ainda a sua
décima geração entrará nela”.
Dt 23,13: “Dentre as tuas armas terás um pau; e quando te abaixares fora, cavarás
com ele, e, volvendo-te, cobrirás o que defecaste”.
Dt 24,1: “Se um homem tomar uma mulher e se casar com ela, e se ela não for
agradável aos seus olhos, por ter ele achado cousa indecente nela, e se ele lhe
lavrar um termo de divórcio, e lho der na mão e a despedir de casa;”.
Dt 24,16: “Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos em
lugar dos pais: cada qual será morto pelo seu pecado”.
Dt 25,5: “Se irmãos morarem juntos, e um deles morrer, sem filhos, então a
mulher do que morreu não se casará com outro estranho, fora da família; seu
cunhado a tomará e a receberá por mulher, e exercerá para com ela a obrigação
de cunhado”.
Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de
um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar
pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olharás com piedade”.
Dt 28,30: “Desposar-te-ás com uma mulher, porém outro homem dormirá com
ela; edificarás uma casa, porém não morarás nela; plantarás uma vinha, porém não
aproveitarás o seu fruto”.
Dt 28,53: “Comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas
filhas, que te der o Senhor teu Deus, na angústia e no aperto com que os teus
inimigos te apertarão”.

Jesus  resumiu a lei e os profetas em "amar a Deus sobre todas as coisas, e amar o próximo como a nós mesmos. ". O que não cabe aí, não deve ser considerado. 
 Ele disse várias vezes  “aprendeste o que foi dito” arrematando com “eu porém vos digo”:



Mt 5,21-26: "Vocês ouviram o que foi dito aos antigos: 'Não mate! Quem matar será
condenado pelo tribunal'. Eu, porém, lhes digo: todo aquele que fica com raiva do
seu irmão, se torna réu perante o tribunal. Quem diz ao seu irmão: 'imbecil', se torna
réu perante o Sinédrio; quem chama o irmão de 'idiota', merece o fogo do inferno.
Portanto, se você for até o altar para levar a sua oferta, e aí se lembrar de que o seu
irmão tem alguma coisa contra você, deixe a oferta aí diante do altar, e vá primeiro
fazer as pazes com seu irmão; depois, volte para apresentar a oferta. Se alguém fez
alguma acusação contra você, procure logo entrar em acordo com ele, enquanto estão
a caminho do tribunal; senão o acusador entregará você ao juiz, o juiz o entregará ao
guarda, e você irá para a prisão. Eu garanto: daí você não sairá, enquanto não pagar
até o último centavo."
Mt 5,27-32: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Não cometa adultério'. Eu, porém, lhes
digo: todo aquele que olha para uma mulher e deseja possuí-la, já cometeu adultério
com ela no coração. Se o olho direito leva você a pecar, arranque-o e jogue-o fora! É
melhor perder um membro, do que o seu corpo todo ser jogado no inferno. Se a mão
direita leva você a pecar, corte-a e jogue-a fora! É melhor perder um membro do que o
seu corpo todo ir para o inferno. Também foi dito: 'Quem se divorciar de sua mulher,
lhe dê uma certidão de divórcio'. Eu, porém, lhes digo: todo aquele que se divorcia de
sua mulher, a não ser por causa de fornicação, faz com que ela se torne adúltera; e
quem se casa com a mulher divorciada, comete adultério."
Mt 5,33-37: "Vocês ouviram também o que foi dito aos antigos: 'Não jure falso', mas
'cumpra os seus juramentos para com o Senhor'. Eu, porém, lhes digo: não jurem de
modo algum: nem pelo Céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o
suporte onde ele apóia os pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
Não jure nem mesmo pela sua própria cabeça, porque você não pode fazer um só fio de
cabelo ficar branco ou preto. Diga apenas 'sim', quando é 'sim'; e 'não', quando é 'não'.
O que você disser além disso, vem do Maligno."
Mt 5,38-42: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Olho por olho e dente por dente!' Eu,
porém, lhes digo: não se vinguem de quem fez o mal a vocês. Pelo contrário: se
alguém lhe dá um tapa na face direita, ofereça também a esquerda! Se alguém faz um
processo para tomar de você a túnica, deixe também o manto! Se alguém obriga você
a andar um quilômetro, caminhe dois quilômetros com ele! Dê a quem lhe pedir, e não
vire as costas a quem lhe pedir emprestado."
Mt 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!'
Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem
vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol
nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam
somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de
impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o
que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa?
Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."

 Se estivesse sancionando a Lei mosaica não diria essas coisas. Até mesmo as tradições, na qual se apegavam os fariseus, cujo exemplo parece seguir alguns líderes atuais, Jesus não deixou de condenar. Recomendou que se amasse até os próprios inimigos, enquanto a Lei dizia o contrário. E quanto ao sábado, o que disse ele a respeito? Para quem “tem olhos de ver”, não há dúvida alguma que Jesus é a quem se deve seguir; inclusive, é por isso que se usa o termo cristão a quem o segue. Aos aficionados por Moisés, que se vestem de cristãos, não se aplica essa classificação.



Jesus disse “a Lei e os Profetas vigoraram até João” (Lc 16,16), ou seja, esse foi o período – de Moisés a João Batista - no qual ela teve valor como regra religiosa; depois, só aquilo que estiver relacionado à missão de Jesus: implantar o Evangelho. Isso, sim, foi a grande preocupação de Paulo, conforme, para exemplo, podemos ver nessas passagens:
Rm 1,1: “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo e escolhido
para anunciar o Evangelho de Deus,”
Rm 1,16: “Não me envergonho do Evangelho, pois ele é força de Deus
para a salvação de todo aquele que acredita, do judeu em primeiro lugar, mas
também do grego”.
Rm 10,16: “Mas, nem todos obedeceram ao Evangelho. Isaías diz: 'Senhor,
quem acreditou em nossa pregação?'"
Rm 15,16: “Sou ministro de Jesus Cristo entre os pagãos, e a minha função
sagrada é anunciar o Evangelho de Deus, a fim de que os pagãos se tornem
oferta aceita e santificada pelo Espírito Santo”.
1Cor 1,17: “De fato, Cristo não me enviou para batizar, mas para anunciar
o Evangelho, sem recorrer à sabedoria da linguagem, a fim de que não se
torne inútil a cruz de Cristo.
1Cor 9,16: “Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo
contrário, é uma necessidade que me foi imposta. Ai de mim se eu não
anunciar o Evangelho!”.
1Cor 15,2: “É pelo Evangelho que vocês serão salvos, contanto que o
guardem do modo como eu lhes anunciei; do contrário, vocês terão acreditado
em vão”.
Ef 1,13: “Em Cristo, também vocês ouviram a Palavra da verdade, o
Evangelho que os salva...
2Ts 1,6-8: “Deus fará o que é justo: vai mandar tribulações para aqueles que os
oprimem, e a vocês, que são agora oprimidos, como também a nós, ele dará
descanso, quando o Senhor Jesus se manifestar. Ele virá do céu com seus anjos
poderosos, em meio a uma chama ardente. Virá para vingar-se daqueles que
não conhecem a Deus e não obedecem ao Evangelho do Senhor Jesus”.
2Tm 1,9-11: Ele nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não por
causa de nossas obras, mas conforme seu próprio projeto e graça. Esta graça
nos foi concedida em Jesus Cristo desde a eternidade, mas somente agora foi
revelada pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo. Ele não só venceu a
morte, mas também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do
Evangelho, do qual eu fui constituído anunciador, apóstolo e mestre.


Vejamos ainda o que o autor de Hebreus diz sobre o dízimo: “Segundo a lei de Moisés, os descendentes de Levi, que se tornam sacerdotes, devem cobrar o dízimo do povo, isto é, dos seus irmãos,...” (Hb 7,5). Nem precisava realçar “segundo a lei de Moisés” dada a evidente diferença entre elas, mas iremos corroborar isso, com o historiador hebreu Flávio Josefo, que disse:
"De medo que a tribo de Levi, vendo-se isenta da guerra, só se ocupasse nas coisas
necessárias para a vida e descuidasse o serviço de Deus, Moisés determinou que, depois que se tivesse conquistado o país de Canaã, se dariam a essa tribo quarenta e oito das melhores cidades de todas as terras que se encontrassem, não distante mais de duas milhas e, que o povo lhe pagaria todos os anos e aos sacrificadores a décima parte dos frutos que recolhesse, o que foi depois inviolavelmente cumprido. (JOSEFO, 2003, p. 112)


As passagens em que consta o dízimo são:
Lv 27,30-32: “Todos os dízimos do campo, seja produto da terra, seja fruto das
árvores, pertencem a Javé: é coisa consagrada a Javé... Os dízimos de animais, boi
ou ovelha, isto é, a décima parte de tudo o que passa sob o cajado do pastor, é coisa
consagrada a Javé.
Nn 18,21: “Aos filhos de Levi dei todos os dízimos em Israel por herança, pelo
serviço que prestam, serviço da tenda da congregação”.
Dt 24,22-23: “Todos os anos você separará o dízimo de qualquer produto de
seus campos e o comerá diante de Javé seu Deus, no lugar que ele tiver escolhido
para aí fazer habitar o nome dele; nesse lugar você comerá o dízimo do trigo, do vinho
novo e do óleo,...”.
Em nenhuma delas consta dízimo em dinheiro e, muito menos, a toda vez que o crente
for à igreja..




Rm 13,8-10: “Não fiquem devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo. Pois,
quem ama o próximo cumpriu plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: não
cometa adultério, não mate, não roube, não cobice, e todos os outros se resumem
nesta sentença: 'Ame o seu próximo como a si mesmo'. O amor não pratica o mal
contra o próximo, pois o amor é o pleno cumprimento da Lei”.
Sem dúvida alguma que aqui Paulo resume a lei; mas não podemos esquecer que,
quando disse “o amor é o pleno cumprimento da Lei”, separa, de certa forma, tudo quanto
nela contém que não se enquadra nisso. Isso é coerente, com todas essas outras afirmações
dele:
Rm 7,4-6: “Meus irmãos, o mesmo acontece com vocês: pelo corpo de Cristo, vocês
morreram para a Lei, a fim de pertencerem a outro, que ressuscitou dos mortos, e
assim produzirem frutos para Deus. De fato, quando vivíamos submetidos a instintos
egoístas, as paixões pecaminosas serviam-se da Lei para agir em nossos membros, a
fim de que produzíssemos frutos para a morte. Mas agora, morrendo para aquilo que
nos aprisionava, fomos libertos da Lei, a fim de servirmos sob o regime novo do
Espírito, e não mais sob o velho regime da letra”.
2Cor 3,6-14: “Foi ele que nos tornou capazes de sermos ministros de uma aliança
nova, não aliança da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, e o Espírito é que dá
a vida. O ministério da morte, gravado com letras sobre a pedra, ficou tão marcado
pela glória, que os israelitas não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa do
fulgor que nele havia - fulgor, aliás, passageiro. Quanto mais glorioso não será o
ministério do Espírito! Na verdade, se o ministério da condenação foi glorioso, muito
mais glorioso será o ministério da justiça. Mesmo a glória que aí se verificou, já não
pode ser considerada glória, em comparação com a glória atual, que lhe é
muito superior. De fato, se foi marcado pela glória o que é passageiro, com maior
razão há de ser glorioso o que é permanente. Fortalecidos por tal esperança, estamos
plenamente confiantes: nós não fazemos como Moisés que colocava um véu sobre a
face para que os filhos de Israel não percebessem o fim daquilo que era passageiro...
No entanto, os espíritos deles se tornaram obscurecidos. Sim, até hoje, quando
eles lêem o Antigo Testamento, esse mesmo véu permanece; não é retirado, porque
é em Cristo que ele desaparece”.
Gl 2,21: “Portanto, não torno inútil a graça de Deus, porque, se a justiça vem
através da Lei, então Cristo morreu em vão”.
Gl 3,23-24: “Antes que chegasse a fé, a Lei tomava conta de nós, à espera da fé
que devia ser revelada. A Lei, portanto, é para nós como um pedagogo que nos
conduziu a Cristo, para que nos tornássemos justos mediante a fé”


.


Todo estudioso bíblico sabe que no Antigo Testamento há duas leis: uma, de caráter divino, que é imutável; a outra, de caráter humano, a de Moisés, mutável, pois nada mais representa que legislação de ordem social e religiosa que se aplica a um povo e a uma determinada época. A grande confusão que causa é que Moisés, ao ditar as suas leis para regular o convívio das pessoas e os rituais religiosos, disse que também elas vieram de Deus:
“Também o Senhor me ordenou ao mesmo tempo que vos ensinasse estatutos e preceitos, para que os cumprísseis...” (Dt 4,13-14). Apenas mentes insanas podem aceitar isso, não é? 

Mt 5,17-20: "Não pensem que eu vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim abolir, mas
dar-lhes pleno cumprimento. Eu garanto a vocês: antes que o céu e a terra deixem de
existir, nem sequer uma letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo aconteça.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e
ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado o menor no Reino do Céu. Por
outro lado, quem os praticar e ensinar, será considerado grande no Reino do Céu. Com
efeito, eu lhes garanto: se a justiça de vocês não superar a dos doutores da Lei e dos
fariseus, vocês não entrarão no Reino do Céu."

Os versículos 17 e 18, têm sido percebidos de forma equivocada pela maioria dos
exegetas, por estarem, muitas vezes, ainda presos ao que aprenderam anteriormente.
Supõem Jesus dizendo que tudo da Lei tem validade, enquanto, que, na verdade, Ele estava se referindo (se foi Ele mesmo quem disse isso), a respeito das profecias a seu respeito, que
haveriam de ser todas elas cumpridas. É o que compreendemos dela, especialmente porque
ela deve ser entendida buscando uma outra passagem: em Lucas dois discípulos caminhavam
para Emaús; Jesus, ressurreto, aparece a eles, que não O reconheceram. A certa altura narra
Lucas: “Então, começando por Moisés e continuando por todos os Profetas, Jesus explicava
para os discípulos todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele” (Lc 24,27); e
mais a frente, agora diante de todos os discípulos, continua a narrativa:

“Jesus disse: 'São estas as palavras que eu lhes falei, quando ainda estava com vocês:
é preciso que se cumpra tudo o que está escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos
Profetas e nos Salmos." Então Jesus abriu a mente deles para entenderem as
Escrituras. E continuou: "Assim está escrito: 'O Messias sofrerá e ressuscitará dos
mortos no terceiro dia, e no seu nome serão anunciados a conversão e o perdão dos
pecados a todas as nações, começando por Jerusalém'. E vocês são testemunhas disso”
(Lc 24,44-48).
Jesus explica aos dois discípulos as passagens da Escritura, que nessa época só poderia
se referir ao Antigo Testamento, que diziam a respeito dele; por que não todas? Porque
completaria um pouco depois que “estas as palavras que eu lhes falei, quando ainda estava
com vocês: é preciso que se cumpra tudo o que está escrito a meu respeito na Lei de Moisés,
nos Profetas e nos Salmos”; depois, disse-lhes, para explicar o que está escrito: “O Messias
sofrerá e ressuscitará dos mortos no terceiro dia, ...”. Assim, quem sustenta que Ele estava
dizendo em outro sentido, que não esse, está interpretando de forma equivocada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário