"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Nós espíritas que distorcemos a Bíblia?

Evangélicos afirmam que nós espíritas que distorcemos a Bíblia. Vejamos se somos realmente nós a fazer tal coisa.

Dizem eles: "A Bíblia condena a comunicação com os mortos porque logicamente (?) os mortos não se comunicam, são demônios enganadores". Ou seja, para eles faria sentido a proibição: "NÃO NADE NA GRAMA".
A Biblia em momento algum diz que mortos não se comunicam e que na verdade seriam demônios a enganar. Tanto que ela relata que Samuel se manifestou após a morte, mas ai evangélicos apelam afirmando que era o diabo, o que mais uma vez a Bíblia não afirma. Chegam a dizer que na "infalível", "perfeita",
"palavra de Deus" que seria a Bíblia o diabo se manifestou naquelas linhas onde está com todas as letras a afirmação de que era Samuel se manifestando após a morte.
Então, como fica?  Há um site  que chega a afirmar que a passagem bíblica que narra o episódio de Samuel "foi escrita por uma testemunha ocular", ou seja, a Bíblia só foi escrita por Deus e não tem falhas quando interessa.
Acho também uma tremenda ginástica que fazem quando Jesus é claro ao afirmar que "Elias veio e não foi reconhecido", no que os apóstolos concluíram que o mestre falava na reencarnação de Elias como João Batista, e então insistem os apologistas cristãos que João Batista era apenas alguém parecido com Elias e não o próprio Elias. Mas Jesus disse: Elias VEIO. Não dizem eles mesmos que a Bíblia interpreta a própria Bíblia? Por que não aceitar o que está claro? Também nunca vi um evangélico explicar satisfatoriamente o ensino na parábola do bom samaritano, que mostra claramente que crenças pessoais (como a salvação pelo sangue de Jesus, por exemplo) não importam para Deus e sim a prática do bem. E nem vou falar mais sobre os inúmeros versículos em que Jesus se diz homem, enviado de Deus e não o próprio Deus, pois já há inúmeras postagens em meu blog  provando que a Trindade é invenção humana, o homem fazendo “Deus” dizer o que eles querem.

Onde fica aquilo que usam como regra de interpretação, "A Bíblia interpreta a própria Bíblia”, diante do fato de que a Bíblia afirma que Samuel depois de morto se comunicou? E a afirmação do Cristo de que Elias veio e não foi reconhecido, e os apóstolos entenderam que ele falava de João Batista? Por coerência, deveriam sempre aceitar o que está escrito, sem procurar explicações alternativas diante de algo que os contraria frontalmente.
Dizem que certos livros escritos pelos hebreus não são inspirados. Evangélicos, ainda por cima, rejeitam alguns aceitos pelos católicos, como Eclesiástico, Sabedoria, etc., só pelo fato desses livros contrariarem algumas das crenças deles - Eclesiástico, por exemplo, reafirma que era Samuel, e não o diabo, quem se comunicou depois de morto. Outra grande contradição dos que insistem que a Bíblia é perfeita e infalível, afinal quem escolheu o que é divino e inspirado e o que não é divino e inspirado? O homem ou o próprio Deus? O homem, certo? Então, cadê a história do "aceitar a Bíblia por inteiro" ? Mais uma vez, está evidente que o homem que faz "Deus" dizer o que ele quer.
Argumentam, quanto a parábola do bom samaritano - um claro ensino do Cristo contra o preconceito, hipocrisia, e a favor da "salvação" simplesmente pelo amor desinteressado e não por crenças pessoais, dogmas e apego as escrituras- dizendo que, a partir da  morte e ressurreição do Cristo, isso mudaria e a "salvação" se daria somente através da crença em Jesus como Deus que se sacrificou por nós, o que a Bíblia também não diz. Mas o que significa isso? Que Jesus deu aquela bela lição de amor desinteressado, tolerância, mas que a partir de sua ressurreição, seria ele próprio intolerante, mandando para o fogo eterno homens como aquele samaritano só por não o idolatrarem como o Deus que se fez carne, morreu e ressuscitou?
Usam a parábola do rico e Lázaro e o episódio com o "bom ladrão" para atacar o Espiritismo sem perceber que contrariam a idéia do juízo final. E a parábola do rico e Lázaro, ainda por cima, contraria a idéia de que a "salvação" se dá através da crença no "Deus que se fez carne e morreu para nos salvar". Ela ensina sobre desapego aos bens materiais, foi dirigida aos fariseus gananciosos e não aos espíritas. Mas não interessa aos evangélicos isso, muito menos a certos pastores que lucram com a fé.

4 comentários:

Luiz Gonzaga Santos Filho disse...

Sou protestante e em se tratando da doutrina da trindade e da deidade de jesus , fica evidente que existem textos Bíblicos que trazem a filiação de cristo como servo submisso sofredor , cumpridor da lei , como também existem textos exaltando uma deidade-exaltação e uma congruência com a divindade de Deus criador. O espiritismo alega que a doutrina da trindade não está nas escrituras como de fato não está . Foi sistematizada para defender durante a historia da igreja ( antes da deturpação de constantino) quando o gnosticismo invadiu o ensino nos pequenos grupos primitivos cristãos influenciados por pensamentos gregos e adjacentes. No entanto vale ressaltar a seguinte premissa :

1 - se a doutrina cristã da trindade não está na bíblia por que foi formulada posteriormente , assim o espiritismo como foi codificado posteriormente também não pode ostentar tal premissa , pois sua formulação foi moderna em meio a um cientificismo e empirismo europeu vigente no sec XIX, influenciado pela religiosidade de seu codificador de influencia católica. Prova é o constante conflito com os dogmas católicos dos concílios de Trento e outros.

2- Assim como existem textos que confirmam nossa doutrina a cerca da divindade de cristo da trindade Deus pai , Filho e Espírito santo , da humilde servidão do messias sofredor que morreu vicariamente pelos seus, assim também existem textos usados pelo espiritismo para justificar suas teorias e práticas .


Fato é que o espiritismo se julga detentor da maior e melhor revelação sob a justificativa de também serem os mais humildes por serem conhecedores dessa revelação superior .
Julgam que todas as religiões cristãs fora do arraial espírita estão fadadas ao conhecimento limitado e temporal do que cristo realmente ensinou e afirma em sua doutrina da 3a revelação que o verdadeiro espírita que tem esse conhecimento elevado deve buscar a humildade . Mas... se basearmos essa premissa numa questão racional e lógica( embora acreditem que cristãos históricos sejam irracionais e fanáticos) , vemos que o espiritismo incorre nos mesmos erros de outras filosofias ou religiões por que muitas interpretações de kardec faz sempre menção a outras religiões cristãs como aquelas que não souberam interpretar direito , que muitos são hipócritas por conta dessas interpretações e que para atingir um nível mais elevado de evolução deve ser espírita ou consolado por essa vertente. Logicamente Se um cristão histórico continuar em sua religião, viverá com um cristianismo embaçado e estará fadado a ser apenas uma pessoa melhor , mas evolucao que é bom, não terá porque não considera a doutrina espírita. Daí fica a seguinte conclusão : o espiritismo alega humildade , mas seu senso de sabedoria e exaltação ao seus postulados não seriam a mesma coisa que uma igreja cristã que repudia outra seita que não está de acordo com as interpretações ?
O espiritismo alega que não é causador de segregações mas em sua defesa não segrega , por simplesmente desconsiderar a hermenêutica e a exegese bíblica de outras denominações históricas e sérias ? O espiritismo em suas considerações afirma a exaltação da racionalidade e do empirismo metafísico como pedra de toque para seu exercício de fé sendo que as outras religiões são fadadas à fé cega por não serem "ciêntificistas". Entretando, O cristianismo histórico anterior a Constantino e posterior a Reforma Protestante é considerado "fé que pensa e razão que crê" , mas muitos não sabem ou não consideram isso, por possuirmos alguns postulados que sejam sustentados ainda que apenas por fé.

Luiz Gonzaga Santos Filho disse...

3 - Não comentarei nenhuma afirmação dos 5 livros de kardec nem porei textos bíblicos confrontando aqui por que sei que os espíritas tem resposta pra qualquer pergunta a cerca de debates bíblicos , por que assim é sua crença , em obter respostas para celeumas e questões diversas.
4- Nunca até hoje eu vi em seu arraial esse conhecimento redundar em humildade doutrinária em afirmar : " Olha de fato nessa área realmente não somos bons ou nossa doutrina falha , por que admite categoricamente e usurpa a revelação "coletiva" para o seus adeptos como sendo a mais elevada e perfeita , se configurando como mais uma seita dentre várias que usurpa sua revelação como a principal . Claro que em sua teoria não se admite essa soberba por que as próprias obras afirmam que o espiritismo não usurpa nada , mas na prática esse excesso de humildade incorre em pecado em relação a outras denominações . O cristianismo Reformado admite dificuldades de interpretação a alguns temas , existem hoje, várias vertentes sobre os mais variados temas e a igreja assumiu isso tranquilamente no decorrer das eras . O erro que o espiritismo incorre é de tentar sistematizar tudo , além de sua doutrina , também sistematizar e racionalizar a bíblia e nessa tentativa , claro, negar eventos bíblicos que só podem ser concebidos por fé e que se forem aceitos fazer cair por terra todo compêndio de doutrinas Espíritas.
Nossa proposta acredito não é debater textos bíblicos somente, por que o distanciamento da exegese cristã reformada para a exegese espírita é incompatível por várias questões :
1 - Trindade
2- Divindade de Jesus
3- Salvação
4- Redenção
5- Expiação
6- Santificação
7- Relação entre Obras e Fé

Não se trata de Experiências sobrenaturais como comunicação com mortos , mas substancialmente os temas centrais do cristianismo histórico que são aniquilados pela Doutrina Espírita. O seu lema é "fora da caridade não há salvação" O nosso lema é "fora da salvação não há a verdadeira caridade". Quanto ao questionamento se o espiritismo é cristão afirmo que se ser cristão significa ser moralmente melhor , procurar fazer o bem social de fato existem ai pontos cristãos mesmo porque essas características foram herdadas antes dos ensinos de cristo , na lei de Moisés e nos Profetas . Mas se ser cristão significa observar um compêndio de doutrinas debruçadas em muita devoção , humildade, espiritualidade e zelo pelas sagradas escrituras , aí estamos profundamente distantes dos ensinos espíritas.
Claro que fica evidente o desconforto entre as afirmações evangélicas e católicas que espíritas servem a satanás. Entretanto , por outro fica as afirmações espíritas de que evangélicos e católicos são fanáticos e limitados .


Abraço amigo,

geverson amadeo disse...

"FORA DA SALVAÇÃO NÃO HÁ A VERDADEIRA CARIDADE " . ISTO É O PENSAMENTO QUE NOS REMETE AO EGOÍSMO ,POIS REPELE AO ENSINO DO PRÓPRIO JESUS QUE RESUME A CARIDADE NA PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO .A SALVAÇÃO PARA OS PROTESTANTES É MAIS IMPORTANTE DO QUE OS ENSINOS DE JESUS ,E É AÍ QUE O ESPIRÍTISMO REALMENTE SE DIFERENCIA DAS DEMAIS RELIGIÕES , POIS TEM COMO MODELO E GUIA O PRÓPRIO JESUS , NÃO MORTO NA CRUZ , MAS VIVO E ATUANTE EM SUAS PALAVRAS,ENSINAMENTOS E EXEMPLO VIVO DE AMOR DESINTERESSADO . AS RELIGIÕES COMUNS CAEM NUM LABIRINTO DE DOGMAS ,ONDE SE DÁ MUITA CONFUSÃO E POUCO ESCLARECIMENTO.SR LUIZ GONZAGA ONDE SE ENCONTRA NA BIBLIA QUE JESUS É DEUS ? SE JESUS É DEUS , ENTÃO ELE É JEOVÁ , O DEUS DOS EXÉRCITOS ? JESUS ENTÃO FOI UM HOMICIDA SANGUINÁRIO E ARREPENDIDO DE SUAS OBRAS , EM QUESTÃO , OS HOMENS E OS ANIMAIS ( O QUE OS POBRES DOS ANIMAIS FIZERAM Á DEUS / JESUS ? ) JESUS/DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO AFIRMOU " OLHO POR OLHO , DENTE POR DENTE " E DEPOIS ENCARNADO ENTRE OS HOMENS NO NOVO TESTAMENTO DIZ PARA AMARMOS OS NOSSOS INIMIGOS ? ME DÊ UMA EXPLICAÇÃO MELHOR DO QUE A DOUTRINA ESPÍRITA .

Luiz Gonzaga disse...

vá ler a bíblia e verá que jesus é Deus ...tao simples . Mas o mais importante é se Ele é o teu Deus ou o teu mestre ou apenas um exemplo a ser seguido.

" Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o ... Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? "

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus."

simples , ele morreu por você e ressuscitou por homens como eu e você.

Postar um comentário