"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

quinta-feira, 15 de março de 2012

Resposta: Na Mira da Verdade - "Deus ama os espíritas, mas, odeia o espiritismo"

Mais uma resposta ao texto do Professor Leandro Quadros, do programa Na Mira da Verdade,
que está em seu site. Em vermelho o texto do professor, seguido dos meus comentários.


Um espírita escreveu-me irritadíssimo com a afirmação que fiz em um e-mail (dirigido a ele) sobre o espiritismo, baseada em 1 Crônicas 10:13, 14: a de que o espiritismo originou-se com o diabo.
O texto mostra claramente que Deus não aprova a mediunidade:
“Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante e não ao SENHOR, que, por isso, o matou e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.”

O versículo reprova o que o Espiritismo também reprova, que é a necromancia, a evocação de mortos para adivinhações. 
 Aliás, Javé (traduzido aí como "O Senhor") também era um espírito e não o Deus Todo Poderoso, mas esse é outro assunto.

Com isso jamais estarei condenando qualquer amigo espírita que, vivendo de acordo com a luz que recebeu, ameniza o sofrimento do próximo através das obras de caridade. Entretanto, boas obras não justificam o espiritismo, assim como o fim não justifica os meios. 

Bom que reconhece que recebemos essa luz no Espiritismo. Lembro, então que quem "“pratica o mal, tem ódio da luz, e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam desmascaradas” (Jo 3,20);"


Nosso amigo também argumentou que o diabo é apenas um “pobre espírito escravizado pelo mal”. A seguir, a resposta dada a ele:
Caro amigo:
Independente de sua confissão religiosa saiba que o respeitamos como pessoa. E, que queremos o seu bem-estar, tanto nesta vida quanto na futura, que será inaugurada com a volta gloriosa de Jesus a esse mundo (Apocalipse 1:7).
Realmente não foi Deus quem matou Saul, pois, este suicidou-se (1 Samuel 10:4). Quando 1 Samuel 10:13, 14 afirma que Deus “matou Saul”, essa é apenas uma forma hebraica de dizer que Deuspermitiu que Saul morresse. E por que isso ocorreu? O texto responde:
“… morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante1 Crônicas 10:13.
Se Deus todo poderoso(e não o "Deus dos Exércitos") pune com a morte quem se envolve com Espiritismo, então fica difícil de entender porque Chico Xavier morreu tão idoso e ainda foi salvo da morte uma vez pelo espírito Emmanuel, que as câmeras de TV mostraram entrando no quarto do hospital.
Poderíamos citar outros espíritas que tiveram uma vida longa e cheia da luz, praticando o bem por influência do Espiritismo.
 Mas cito apenas o exemplo de Chico, que todos sabem quem foi.

Por uma questão de bom senso, você deve aceitar toda a Bíblia ou nada dela. Para Deus não existe meio termo: ou somos “frios” ou “quentes” (Apocalipse 3). Se você tem a Bíblia como sua norma de fé e prática terá que aceitar também o que ela diz sobre o espiritismo. E estamos percebendo juntos que a Bíblia o condensa. Por mais que se tente argumentar a favor do espiritismo, na Bíblia não se encontra embasamento para o mesmo. 
Por questão de bom senso, aceitamos o que é aproveitável. Se não acreditamos que a Bíblia é 100% divina, não temos que aceitá-la 100% para sermos coerentes. Mas se vocês entendem a Bíblia dessa forma, então que matem um filho desobediente, matem pessoas poderosas, matem crianças e animais inocentes, queimem um boi vivo para Deus.., Enfim, façam tudo o que o "Deus" do Antigo Testamento manda fazer. Se acreditam que ela é toda inspirada, seriam coerentes só assim. Mas não aceitam nem mesmo quando ela diz com todas as letras que Samuel se manifestou depois de morto, ficam buscando "chifre em cabeça de cavalo",distorcendo tudo para que a Bíblia diga o que vocês querem que ela diga.
A Bíblia não condena o Espiritismo, pois esse nem existia. Condena a  mediunidade, mas praticada de uma forma que o Espiritismo não aceita.também. 
Recomendo que aceite a Palavra de Deus. É por ela que você e eu seremos julgados e não pelas obras de Allan Kardec. 
Claro que não. Seremos julgados pelas nossas obras, boas ou más...
Sei que não é de uma hora para outra que entenderá e aceitará isso. Mas, pense consigo: “devo ficar com a Bíblia e o texto de 1 Crônicas 10:13, 14 ou com o kardecismo?” As duas coisas são antagônicas. Sendo que duas coisas contraditórias não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, a Bíblia ou o kardecismo tem a Verdade. Jesus disse que é a Bíblia (João 17:17) e jamais fez menção ao kardecismo (sei da diferença entre o mesmo e os rituais praticados entre os culto afro-brasileiros). 
Nem existia "kardecismo", como a Bíblia falaria sobre isso?.
 Aliás, nunca existiu, pois a Doutrina é dos espíritos.
Cuidado com a negação do diabo. Negar a existência dele é colocar-se em um terreno perigoso 

E a do bicho papão? Da fada do dente?

Pedro 5:8 afirma: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” Aqui não é mencionado um “pobre espírito que se escravizou ao mal” mas um ser real e pessoal – inimigo do  bem e disposto a destruir a felicidade das pessoas. Se não fosse o poder de Deus, já teríamos sido derrotados. Seja prudente como Paulo: não ignore as forças do mal “para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.” 2 Coríntios 2:11. 
Professor, você mesmo começou reconhecendo que Espiritismo é do bem. De que  "mal" é esse de que tá falando agora, então?

Severino Celestino da Silva no livro "Analisando as Traduções Bíblicas", sobre os “demônios”: 
"A palavra demônio não implica na idéia do espírito mau senão na sua significação moderna, porque a palavra grega ´daimon", da qual se origina, significa ´Deus', 'poder divino´, ´gênio', 'inteligência', e se emprega para designar os seres incorpóreos, bons ou maus, sem distinção. 
   Segundo o significado vulgar a palavra ´demônios´ significa seres essencialmente malfazejos e seriam, como todas as coisas, criação de Deus. Ora, Deus que é soberanamente justo e bom não pode ter criado seres predispostos ao mal por sua natureza e condenados por toda a eternidade. Se não são obras de Deus, seriam, pois, como Ele, de toda a eternidade, ou então haveria várias potências soberanas. 
   Ainda segundo Kardec, a primeira condição de toda doutrina é de ser lógica. Ora, a dos demônios, em seu sentido absoluto, peca por essa base essencial. 
    Compreende-se que, na crença dos povos atrasados, que não conheciam os atributos de Deus, fossem admitidas as divindades malfazejas, como também os demônios, mas, é ilógico e contraditório, para aqueles que fazem da bondade de Deus um atributo por excelência, suporem que Ele possa ter criado seres devotados ao mal e destinados a praticá-lo perpetuamente. Isso seria a negação da bondade divina. Os partidários da doutrina dos demônios se apóiam nas palavras do Cristo. Mas estarão bem certos no sentido que Ele dava à palavra demônio? Não sabemos que a forma alegórica era um dos caracteres distintivos da Sua Linguagem? Tudo que o Evangelho contém deve ser tomado ao pé da letra? Não seremos nós quem contesta a autoridade dos Seus ensinamentos, pois desejamos vê-los mais no coração do que na boca dos homens. Não precisamos de outra prova além desta passagem: 
   'Logo após estes dias de aflição, o Sol obscurecerá e a lua não derramará mais sua luz, as estrelas cairão do céu e as potências celestes serão abaladas. Digo-vos, em verdade, que esta geração não passará sem que todas estas coisas se tenham cumprido" (Mateus 24: vers. 29 e 35). 
   Não temos visto a forma do texto bíblico ser contradita pela Ciência no que se refere à Criação e ao movimento da Terra? Não pode ocorrer o mesmo com certas figuras empregadas pelo Cristo, que devia falar de acordo com os tempos e os lugares? O Cristo não poderia dizer, conscientemente, uma coisa falsa. Assim, pois, se em suas palavras há coisas que parecem chocar a razão, é porque não as compreendemos ou as interpretamos mal. 
   Os homens acreditaram ser os anjos entes perfeitos por toda eternidade e tomaram os espíritos inferiores por seres perpetuamente maus. No entanto, pela palavra demônio, devemos entender como sendo os espíritos impuros que, frequentemente, não valem mais do que as entidades designadas por esse nome, e com a diferença de que seu estado é transitório. São, portanto, os espíritos imperfeitos que murmuram contra as provas que devem suportar e que, por isso, suportam-nas por mais tempo; chegando, porém, por seu turno, a saírem desse estado, quando o quiserem. Poder-se-ia aceitar então a palavra "demônio" com esta restrição. Nesse sentido exclusivo, poderia induzir ao erro, fazendo crer na existência de seres criados para o mal." 

O fato de satanás ser imperfeito não é um problema de Deus, pois, tal ser foi criado perfeito(Ezequiel 28:15). 
Quem é perfeito não regride. Só se não era perfeito.
Se a existência dele é sinal de que o Criador errou, a existência de um simples “espírito escravizado ao mal” também seria indício de um “erro” divino, pois, como Ele permitiu um espírito ser escravizado pelo mal?
O anjo perfeito criado por Deus tornou-se satanás (adversário) por causa da má escolha que fez ao exercer o livre-arbítrio. Nada mais que isso.

Um espírito de um desencarnado também exerce o seu livre-arbítrio, até que evolua.
Mas por que Deus permitiria esses seres com tanto poder e vontade de enganar as criaturas DELE?
a história dos anjos caídos também pode ser identificada com o personagem bíblico Adão, que representaria as "raças adâmicas", que nada mais foram que os primeiros homens a caminhar sobre esta terra.

Os anjos caídos vieram para auxiliar o progresso do nosso mundo, e mais, também para, na vivência dita mais selvagem, enfrentar suas fraquezas e falhas, para depois retornarem depurados e prontos a habitarem suas moradas de origem. 

 Acredito estarmos à beira de uma dessas grandes mudanças. Mudança essa que será a separação do joio e do trigo, onde a Terra irá caminhar para um novo estágio, onde estaremos um passo mais perto de vivermos em um mundo de espíritos felizes. 

Reflita com carinho no que lhe escrevi Valter. Deus tem planos para você e não foi por acaso que nos escreveu. A caridade é importante, mas, para ser totalmente aceita por Deus precisa vir acompanhada da obediência (inclusive à ordem de Deus de não ir até médiuns), como ensina Mateus 7:21-23:
“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.  Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?  Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” Mateus 7:21-23.
Por que não colocar também aqui dos versículos 16 ao 20?

Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.Portanto, pelos seus frutos os conhecereis 
(Mateus 7:18-20)

E dos versículos 24 a  27:
Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda. 
(Mateus 7:24-27) 
Jesus claramente ensina que para entrarmos no Reino de Deus importa mesmo que coloquemos em prática suas palavras e com isso dando  bons frutos.Enquanto isso, tem muita gente prometendo milagres e maravilhas, mas esquecendo os seus ensinamentos...

Deixo-lhe outro texto bíblico para reflexão:
“Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”” Isaías 8:19-20 (Nova Tradução Na Linguagem de Hoje)
Fique com Deus,
Leandro Quadros.

Como se diz "médium" em hebraico, professor, se essa palavra nem existia? E não venha dizer que é o mesmo que necromante, pois já disse no começo que não é.
Aliás, o versículo 20 teve seu significado totalmente alterado. Acho vergonhoso o que fazem para que a Bíblia diga o que bem querem. 
Conforme Severino Celestino em seu "Analisando as Traduções Bíblicas", esse versículo não condena a mediunidade. Muito pelo contrário. E segundo ele o versículo não diz "o seu Deus" mas "os seus deuses"(elohim significava Deus, deuses e também os seres incorpóreos, como os espíritos de mortos no caso). 
Diz Severino: "Expressamente Isaías questiona: Por que não consultar os mortos em favor dos vivos? Observe a tradução do texto literal e veja o que realmente significa. Isaías demonstra que não existe motivo para não se receber daqueles que estão do outro lado as suas experiências, os seus fracassos e suas vitórias. Isto, é claro, em favor dos que se encontram na matéria, para que se modifiquem e mudem suas condutas e procedimentos em favor de si mesmos, a fim de conseguirem sua evolução espiritual 
"Se vos disserem: "Ide consultar os feiticeiros e adivinhos, cochichadores e balbuciadores", acaso não consultará o povo os seus deuses, e os mortos a favor dos vivos"?."  
Atenção para o versículo 20 que afirma: "Se eles (os mortos do verso anterior) não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles” . Veja quem o texto afirma que há espíritos de luz, e para sabermos se o espirito é de luz o que ele diz deve ser analisado de acordo com a lei - Segundo Cristo, "amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo", resume toda a lei e os profetas..










Nenhum comentário:

Postar um comentário