"Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros." (João 13:35) "Onde estiverem reunidos, em Meu nome, dois ou três, lá estarei no meio deles." (Mateus 18:20)

Translate


Pesquisar

sábado, 3 de janeiro de 2015

KARDEC, O “CODIFICADOR DO ESPIRITISMO” – RETRATOU-SE!! SERÁ?

E QUEVEDO, DISPARATADO, INGÊNUO, CRENTE EM QUALQUER TOLICE QUE LHE AGRADE, MERGULHOU DE CABEÇA NESSA E NEM SE DEU CONTA DE QUE JANTOU UM GATO CHEIO DE ZOONOSES, PENSANDO SER UMA SAUDÁVEL LEBRE.


No mesmo dia da morte de Allan Kardec, na mesma hora, no mesmo minuto, o médium (Daniel Dunglas) Home recebeu uma mensagem do espírito de Kardec: “Arrependo-me de ter ensinado a Doutrina Espírita”. A mensagem foi recebida na presença do Conde Dunraven. (HOME, op. Cit., [francês] p. 114) 

No seu livro, Light and Shadows of Spiritualism, Home declara isso, exceto por uns detalhes pelos quais o douto Quevedo, ingênuo e disparatado como é, passa batido:

O livro foi escrito sete anos após a morte de Kardec.

Home diz apenas que recebeu a tal mensagem antes de TER CONHECIMENTO da morte de Kardec, mas NUNCA CITOU QUE FOI NO EXATO MOMENTO DESTA MORTE (dia, hora, minuto e segundo). 

Mais ainda. Home transcreve uma mensagem psicografada pelo médium Morin, considerado por Kardec “um dos seus melhores médiuns”.

Na mensagem o Espírito de Allan Kardec também se mostra “arrependido da doutrina que difundi em vida”, repudia esses ensinamentos e confessa seu “orgulho insensato” por haver ensejado passar por “um semideus, salvador da humanidade”, quando na realidade tudo não passava de “egoísmo ridículo”.[orange]

O disparatado Quevedo deixa de mencionar que Home SEMPRE desprezou Kardec e NUNCA teve qualquer relacionamento, nem houve uma simples troca de cumprimentos entre os dois. Diante disso Home NUNCA poderia saber se este ou aquele médium foi considerado “um dos melhores médiuns” exceto pela palavra do próprio médium. Claro que neste caso, o disparatado Quevedo porá A MAIS ABSOLUTA CONFIANÇA NA PALAVRA DESTE MÉDIUM, tal como supostamente Home teria feito. 

Como nenhum deles, nem Quevedo, nem Home, leu o Livros dos Médiuns, não tinham como saber que Kardec diz ali que “MAIS DE UMA VEZ TENHO DE LAMENTAR UM ELOGIO FEITO A UM MÉDIUM”. Traduzindo: Kardec NUNCA elogiava médiuns, exatamente para não ter de lidar com egos inflados depois. Assim portanto, não foi através de Kardec que se ficou sabendo que o Morin seria um dos seus melhores médiuns. Certo, disparatado e ingênuo Turatti, que tudo copia do Quevedo? 

(Do ponto de vista parapsicológico, não se trata de mensagens do além. E no caso de Home, sendo “no mesmo dia e momento da morte” de Kardec, isto é, no início da morte aparente, evidentemente não podia se tratar de comunicação de morto, de Espírito do além).

Obviamente essa ressalva só tem cabimento se formos considerar o texto QUEVEDIANO (e não o que Home de fato escreveu) que coloca por sua conta esse “mesmo dia e momento da morte”. Agora vejamos uma outra coisa: e o Morin? Também teria recebido a comunicação acima “no mesmo momento da morte de Kardec”? Sim ou não? Acho que aqui o Quevedo esqueceu de incluir essa tal situação e aí ficamos com um problema: a mensagem recebida pelo Morin, o mais confiável dos médiuns de Kardec, era do próprio Kardec falecido ou uma produção do todo-poderoso iiiiinconsciente, resultante do fato de alguma desilusão com o Espiritismo e portanto, sem o menor valor de prova?

E aí, como ficamos, ou não ficamos? Quevedo é ou não é um ingênuo e disparatado apologista católico?

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz." 

Fonte: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100513201754AA4VBMC

Um comentário:

Postar um comentário